Polícia Civil do RN deflagra operação “Alligator”, prende oito suspeitos e sequestra bens estimados em R$ 2 milhões

aligator Polícia Civil do RN deflagra operação “Alligator”, prende oito suspeitos e sequestra bens estimados em R$ 2 milhões

A Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC), com apoio de outras unidades da Polícia Civil do RN, deflagrou nesta quarta-feira (15) a Operação “Alligator”, que resultou no cumprimento de nove mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão temporária, além de mandados de sequestro de imóveis, veículos e cavalo de raça. As investigações, que duraram aproximadamente um ano, tinham como foco desmantelar uma organização criminosa voltada para o tráfico de drogas interestadual e recuperar bens adquiridos ilicitamente por meio da lavagem de capitais.

A organização criminosa se notabilizou pela produção e venda em larga escala de cocaína, que tinha como característica a gravação em sua superfície do símbolo de um jacaré, referência à grife francesa de vestuário “Lacoste”. Segundo as investigações, essa conduta é típica dos cartéis internacionais de drogas, especialmente no México, onde os traficantes colocam sua “marca” para indicar a origem e a qualidade do entorpecente que produzem e comercializam.

Dentre os presos temporários está Fernando Henrique, mais conhecido como “Fernandinho Lacoste”, suspeito de chefiar a organização criminosa e de juntar sistematicamente, durante vários anos de atuação nesse ramo ilícito, um elevado patrimônio constituído de apartamentos e veículos de luxo, granja, jet ski, quadriciclos e cavalos de raça.

Grande parte deste patrimônio foi sequestrado nesta operação, totalizando aproximadamente 2 milhões de reais em bens. Ainda durante o cumprimento de mandado de busca e apreensão em um dos imóveis de Fernando Henrique, foi apreendida a quantia de R$ 43 mil reais em espécie.

Ainda segundo as investigações, os demais suspeitos que foram presos tinham variadas tarefas na escala de importância da organização criminosa, desde a realização do comércio direto de drogas, até à gerência operacional e financeira do grupo. Dos investigados presos provisoriamente, Ronaldo Morais de Oliveira foi preso em flagrante, pelo crime de posse irregular de arma de fogo e Edileide Camilo de Souza foi presa em flagrante por tráfico de drogas.

Um terceiro investigado, Clebert Freire de Araújo, alvo de mandado de busca e apreensão, também foi preso em flagrante pelo crime de posse irregular de arma de fogo. Foram presos temporariamente: Fernando Henrique Freitas Pereira, mais conhecido como “Fernandinho Lacoste”, Edileide Camilo de Souza, Siro Lira de Medeiros, Ronaldo Morais de Oliveira, Sandro Lira de Medeiros, Edilane Camilo de Souza, Gabriel Darlan Barbosa e Edfranklin do Nascimento.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

janeiro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Categorias

Recorde de impopularidade de Temer?

A impopularidade “estratosférica” de Michel Temer em Pernambuco foi fundamental para que Bruno Araújo decidisse deixar o Ministério das Cidades, diz a Época. Se no

Leia Mais

Mude o disco!

Emparn prevê chuvas dentro da média no Rio Grande do Norte em 2021. Período chuvoso deve começar entre o mês de fevereiro e o início

Leia Mais