Estatuto do PCC é encontrado entre os presos durante revista em Alcaçuz

O NOVO JORNAL teve acesso à cópia do estatuto do Primeiro Comando da Capital (PCC), uma organização criminosa surgida no Estado de São Paulo, mas que conta com ramificações no Rio Grande do Norte. O documento descoberto ontem durante uma revista feita no Pavilhão 2 do Presídio Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, traz diversas regras de comportamento e de atuação para quem está filiado ao grupo.

O código é composto por 18 artigos e dividido em duas partes: princípios de convivência e punições. O documento encontrado no presídio potiguar tem o mesmo conteúdo do estatuto redigido nas prisões de São Paulo, cuja versão foi criada em 2001. O texto local é lavrado à mão, com caneta esferográfica, e tem data de 09 de setembro de 2013.

A ação da PCC é responsável por desencadear uma série de rebeliões nos presídios potiguares em março passado. Os comandos eram enviados de Alcaçuz para todas as unidades prisionais do Rio Grande do Norte. Através de telefones celulares, os detentos ordenavam motins e ataques, como os que acabaram por incendiar ônibus em Natal e Parnamirim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2021
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Categorias