Segura a onda depois do carnaval

mascara de carnaval 2 Segura a onda depois do carnaval

Deu no Grande Ponto:

Com festas canceladas no Rio Grande do Norte, o Carnaval começou com dez hospitais públicos registrando ocupação de leitos críticos acima de 80%. Desses, seis estão com 100%. A informação consta na plataforma Regula RN.

Segundo os dados, registram 100% de ocupação dos leitos críticos neste sábado (13) os hospitais Giselda Trigueiro (Natal), Manoel Lucas de Miranda (Guamaré), Hospital Maternidade Divino Amor (Parnamirim), Hospital Regional de João Câmara (João Câmara), Hélio Morais Marinho (Apodi) e Lindolfo Gomes Vidal (Santo Antônio).

Os hospitais de Campanha da Prefeitura de Natal e o João Machado registram, respectivamente, 95% e 92,9% de ocupação dos leitos críticos. O Hospital Cleodon Carlos de Andrade (Pau dos Ferros) está com 88,9% e a Unidade Materno-Infantil Integrada de São Paulo do Potengi está com 88,3%.

Ainda de acordo com a plataforma Regula RN, na Região Metropolitana de Natal 81,3% dos leitos críticos estão ocupados. No Oeste e no Seridó a situação é mais confortável (60,8% e 51,4%, respectivamente). Em todo o Rio Grande do Norte são 70,2% dos leitos críticos ocupados.

NOVOS LEITOS

Na última terça-feira (09), a Secretaria de Saúde Pública do RN (Sesap) anunciou a abertura de mais 15 leitos críticos de Covid-19 no Hospital Giselda Trigueiro, um dos hospitais de referência para tratamento contra a doença no estado. A data para que as novas unidades passem a funcionar, no entanto, não foi divulgada pelo Governo do Estado.

PS: Segura a onda depois do carnaval. Tem “boquinha” não. Somente proibiram dos artistas ganhar dinheiro e as festas privadas. Tudo liberado da Tromba ao Rabo do Elefante.

Carnaval praticamente normal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

março 2021
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Categorias

Reforma pode fechar BNDES

Bancos estatais, como o BNDES, serão fortemente atingidos pela reforma da Previdência. Relatório reservado do banco em poder da coluna mostra que, atualmente, dos 40%

Leia Mais