Santana e Mônica se contradizem sobre aviso de Dilma

IMG_3279

O advogado Alberto Toron, que já advogava para Dilma Rousseff no caso em que ela é acusada de obstrução de Justiça ao nomear Lula ministro, assumiu nesta terça (16) a defesa da petista no caso em que é acusada de avisar o casal de marqueteiros João Santana e Mônica Moura de que seriam presos na Operação Lava Jato. A informação é de Mônica Bergamo, na sua coluna da Folha de S.Paulo desta quarta-feira.

Avalia a colunista que o casal, na delação premiada, não coincide no relato de como foi avisado de que seria preso. Mônica diz que Dilma, além de enviar e-mail cifrado, telefonou a Santana na noite do “dia 20 ou 21 de fevereiro (eles foram presos no dia 23)”. Segundo ela, “fomos avisados que foi visto um mandado de prisão assinado contra a gente”.

2 respostas

  1. Essa coisa de delação premiada anda meio estranha. O cara pega 30 anos de cana, e para reduzir isso e quase ser perdoado vai “delatar”. Isso é perigoso, principalmente porque a pessoa pode criar até mesmo provas para se safar. Acho que precisa aprimoramento dessa opção de delação premiada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

setembro 2022
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias