Rafael Motta detona: “Carlos Eduardo acusou Fátima de roubo e tenta vestir pele de cordeiro”

A edição desta sexta-feira (23) do Jornal Diário do RN trouxe a acirrada disputa pelo Senado no Rio Grande do Norte (RN). Entrevistando os três mais bem posicionados candidatos, observando as últimas pesquisas eleitorais, chegou a vez do Deputado Federal Rafael Motta (PSB) apresentar seus posicionamentos.

Em certo momento da entrevista, o jornal questionou: Qual a estratégia que o senhor passará a adotar para crescer na preferência do eleitorado e reverter o quadro das pesquisas?”

Resposta de Rafael: Temos visto pesquisas com números para todos os gostos. Analiso a rejeição – a nossa é sempre muito menor que a deles, e os indecisos. Rogério é candidato desde que assumiu o ministério e chegou ao teto do bolsonarismo no Rio Grande do Norte. Carlos tenta vestir a pele de cordeiro, mas todos sabem quem ele é verdadeiramente. Votou em Bolsonaro, passou quatro anos detonando o PT e o governo Fátima, dizia que não sabia nem o nome daquele que hoje é seu suplente, acusou a governadora de roubo, tem vários tuites seus elogiando Rogério, tem várias declarações dele elogiando as reformas trabalhista e da Previdência. O marketing de Carlos quer pintá-lo como um amigo do trabalhador, um progressista. Mas, na realidade, Carlos e Rogério representam a mesma coisa, a velha política, das conveniências.

O Diário do RN também perguntou a Rafael sobre a situação de Carlos Eduardo (PDT) com o voto em Lula, e o apoio do PT.

Pergunta: Carlos Eduardo não vota em Lula, mas recebe o apoio do PT, enquanto o seu partido, o PSB, tem o vice de Lula, mas o senhor não tem o apoio do PT. Como explicar essa situação ao eleitorado?

Resposta de Rafael: Carlos Eduardo é o retrato da política de conveniências, de quem usa a política como projeto pessoal. Tentou dar uma virada no discurso, mas a internet não esconde o verdadeiro Carlos. Esse acordão para o Senado não tem explicação possível a não ser esse jogo de conveniência do qual ele tão bem conhece. Ciro Gomes é o presidente de Carlos. Não tinha como ser diferente. Eles são do mesmo partido. Então, ele não declara o voto, não pede votos para Lula e, por outro lado, tem tentado se beneficiar do uso da imagem de Lula.

Mas essa incoerência não passa despercebida. O eleitor potiguar está atento. O único candidato ao Senado que vota em Lula, que pede votos para Lula, que tem um histórico de alinhamento, de parceria com o PT e com o governo Fátima sou eu. Eu não tenho que explicar nada. O meu partido, o PSB, está oficialmente na chapa do presidente Lula como vice-presidente Geraldo Alckmin. Lula é o meu candidato, assim como Fátima é a minha candidata ao governo.

Diário do RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

setembro 2022
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias

Só lembrança

Nos últimos 20 anos o Rio Grande do Norte aparecia com José Agripino (DEM) Garibaldi Filho (MDB) na relação dos 100 mais influentes do Congresso

Leia Mais