Queda na arrecadação deixa o RN em estado de “putrefação”

A queda de receita no Estado durante neste período de pandemia foi puxada ainda pelas perdas de R$ 48 milhões do Fundeb, R$ 24,3 milhões de royalties, R$ 22 milhões do Simples, e R$ 7,2 milhões do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop). Na contramão das perdas, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) apresentou alta de 1,7% com ganho de R$ 2,8 milhões ao cofre estadual.

O déficit do último mês aponta uma possível diminuição do rombo financeiro, mas ainda compromete, sobremaneira, as contas públicas. No mês de março, início da pandemia, as perdas foram de R$ 19.845.847,69. Em abril, de R$ 112.104.792,66. Em maio, o maior montante, de R$ 193.384.372,79. Em junho, leve diminuição, com R$ 165.442.375,97 em queda de receita.

“Assumimos um Estado em calamidade financeira, com passivo de quatro folhas e sete anos de salários pagos em atraso. Ainda assim nos comprometemos a pagar o salário dentro do mês trabalhado e temos cumprido. Os efeitos econômicos e sociais da pandemia permanecerão mais alguns meses. Mas enfrentaremos mais esse desafio com planejamento e ações”, concluiu o secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire.

Uma resposta

  1. Fatinha esquente não, papai Bolsonaro manda carradas de dindin pra te ajudar, agora não vá pagar as coisas sem receber, aí não dá né Fatinha, KD os 5 milhões o gato comeu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

janeiro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Categorias

Mais de 40% do RN quer saber

Um dado curioso levantado pela pesquisa Consult/FIERN, divulgada nesta quinta-feira, é que mais de 40% da população potiguar não acompanha a atuação dos senadores e

Leia Mais