Paulo de Tarso: decisão de Rosalba é um desatino político

paulo de tarso critica Paulo de Tarso: decisão de Rosalba é um desatino políticoO jurista Paulo de Tarso Fernandes era chamado de super-secretário, quando comandou o Gabinete Civil do Governo Rosa(do). Pessoa da mais irrestrita confiança da governadora Rosalba Ciarlini e dos primeiro-cavalheiro-ravengar Carlos Augusto Rosado.

Era para ser o cérebro do governo.

Era, mas divergências e decisões à revelia resultaram no seu pedido de demissão, o que gerou polêmica, declarações ácidas e especulações.

Diante do controverso decreto do governo, que está sendo chamado de AI-5 Rosado, que proíbe manifestações na área externa do Centro Administrativo e o acesso de não-funcionários a partir das 18h, a coluna do blog tocou o telefone para Paulo de Tarso. Falou com exclusividade.

Ele aceitou falar sobre a decisão e foi de pronto enfático: – “É um desatino político”.

Desatino, segundo o dicionário Caldas Aulete: Falta de tino, de equilíbrio, de juízo.

PTF disse que antes de se discutir aspectos constitucionais, jurídicos, “o autoritarismo levará o governo ao descrédito”.

Ou seja: como o direito de livre manifestação para fins pacíficos não pode ser impedido, haverá ‘desobediência’ ao decreto e, assim, o governo será desmoralizado politicamente.

Lembrou que quando era questionado sobre “certas medidas”, alertava que aquela é uma área pública, onde qualquer pessoa pode transitar. Revelou que a governadora Rosalba nunca reclamou do “barulho” das manifestações. Foram vários protestos desde o início do governo, até com acampamentos.

Aconselhou: – “A única postura que o governo deve tomar agora é revogar o decreto”.

Paulo de Tarso levantou cenários improváveis: – “Imaginem se vão impedir manifestações em frente ao Congresso Nacional, em frente á Praça 7 de Setembro (onde ficam a Assembléia Legislativa do RN, o Palácio da Cultura (antiga sede do governo), o Tribunal de Justiça)? Não há como fazer. São espaços públicos, e o Centro Administrativo é uma praça pública”.

Sobrevoando a Secretaria de Segurança Pública, a Vespinha-Astuciosa captou que o sistema não foi ouvido sobre o polêmico decreto. Até o secretário Aldair Rocha foi pego de surpresa.

De um experiente, ouviu: – “Será que os órgãos de segurança não têm sequer condições de dar um parecer acerca do assunto?”.

Deu em Eliana Lima

3 respostas

  1. Esse é o jeito DEM de governar. Agora imagine se fosse do PT?
    No RN tudo pode, inclusive isonerar “vice”.
    No RN nem o vento sopra mais.

  2. A título de curiosidade: Sou Contador, nunca fui filiado a qualquer partido ou movimento político, contudo, sendo um cidadão cumpridor de Todos seus deveres, me obrigo a manifestar-me sobre tudo ou qualquer coisa, desde que não ofenda a moral de qualquer indivíduo.
    Feliz 2012! Que o RN possa voltar a oculpar o espaço Nacional que lhe é de direito.

  3. Seu Francisco, por ser contador o senhor deve entender muito de números, mas de letras…, por isso tá perdoado o seu erro em “isonerar” ou seja, exonerar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias

O candidato da Globo

O PT vai colar a TV Globo na testa de Luciano Huck. O que dizer de Franklin Martins, que passou do Jornal Nacional diretamente para

Leia Mais