O bordão: Não basta ser pai, tem que participar! Ainda está na moda

Outro dia conversando com um dos meus filhos, lá pelas tantas eu perguntei se ele sabia quem era a razão da minha vida. Ele não pensou e respondeu de cara: – Sei sim! Eu e meus dois irmãos. Ele me deu um beijo e disse que me amava e achava que devia ser difícil ser pai. Eu respondi que não era fácil, mas era a coisa que mais dava sentido a minha vida. E voltamos a conversar como adultos. Aliás, eles já são adultos, diga-se de passagem.

Ser pai no sentido mais amplo da palavra é dividir o meu tempo com eles e entender que eles fazem parte das minhas prioridades. É caminhar junto na doença e na alegria. É para brincar, sair para comprar coisas juntos, conversar, brigar na hora de brigar, pedir desculpas quando nos excedemos e dar exemplos bons o tempo todo. Eles me observam mais do que imagino e isso, às vezes, assusta.

Não faz muito tempo o pai-padrão contribuía com o esperma e ali encerrava sua participação direta na paternidade. No mais, botava dinheiro em casa enquanto as mães eram as responsáveis pela educação dos filhos. A coisa, hoje, mudou. A minha geração de pai é mais comprometida e vemos isso todos os dias.

Temos que ter tempo para o trabalho e para os filhos… quando sobra um pouquinho para a gente, aí sim, aproveitamos e… damos para os filhos, pois a vida ao lado deles assume um sentido sem o qual não saberíamos mais viver.

É difícil ser pai.. mas todos os dias agradeço essa oportunidade que eles me deram de entender o que é esse nunca contentar-se de contente, esse cuidar que se ganha em se perder. Esse tão contraditório a si que é mesmo o amor.

Eu amo meus filhos. O bordão: Não basta ser pai, tem que participar ainda está na moda. Não ficou cafona. Então… obrigado Jesus!

Foto: qual dos quatro é o pai? rsrsrsrs…

4 respostas

  1. Parabéns Robson pelo belo depoimento e pelo exemplo de como ser um verdadeiro Pai. Esse bordão nunca sairá de moda. Temos sim que valorizar a família, porque é projeto de Deus.

    Saudações,

    Ricardo
    Touros / São Miguel do Gostoso / Natal

  2. Xerife a minha esposa é uma super mãe e é comum quando os filhos saem pras baladas o pai dormir e a mãe passar a noite acordada. Aqui na nossa residencia é o contrario, eu é que fico acordado esperando minhas crianças de 28, 23 e 21 anos chegarem. Tento ao maximo proteje-los sem dar dar super proteção, dou toda a liberdae a eles com responsabilidade, se saem para se divertir e beber procuro mostrar que não podem dirigir e muitas vezes um deles de 23 anos ao sir da faculdade com os amigos ligava que tinha parado num barzinho e pedia para que fosse busca-lo pois havia tomado uns gor-os. Ai vou com a esposa ou uma filha e trago pra casa, sem ter a preocupação dele ser flagrado numa blitz. Procuro orienta-los sobre confusões em festas e costumo dizer aos homens que só devem se agarrar com mulheres e beijar muito. Concordo plenamente com vc: Não basta ser pai, tem que participar ainda está na moda. Não ficou cafona. Se todos procurassem cuidar melhor dos filhos acredito que não veriamos tanta violiencia, drogas, etc.
    Este tipo de postagem com certeza nos dá força para cuidarmos melhor dos nossos filhos e incomodam alguns que não cuidam, mas nunca é tarde para começar a cuidar….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

janeiro 2022
DSTQQSS
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031 
Categorias

Entrando no banheiro 

Assessores de prefeitos de várias  cidades do Rio Grande do Norte ávidos por noticias enviam tudo que é  tipo de informação para blogues e sites.

Leia Mais