Não é de nada: Lula perde lugar para Marina na lista de mais influentes da “Time”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi retirado da lista de 100 pessoas mais influentes do mundo preparada anualmente pela revista Time. Em 2023, ele foi o único brasileiro na relação. Agora, o posto é ocupado por Marina Silva, ministra do Meio Ambiente.

A Time tem critérios obscuros para fazer essa lista de 100 pessoas mais influentes no mundo a cada ano. Por exemplo, foram excluídos 99 dos nomeados da lista de 2023, e não há explicação a respeito. Só ficou em 2023 e 2024 Patrick Mahomes (o quarterback dos Chiefs e vencedor do Super Bowl nos 2 anos).

Com 101 anos e vivendo ainda de suas glórias do passado, a Time ainda consegue repercussão com suas listas de pessoas influentes. No caso do Brasil, quase sempre há pelo menos 1 entre os 100 relacionados.

Lula tem interesse em ser protagonista no cenário internacional. Pretende em algum momento ser considerado para ganhar o Prêmio Nobel da Paz. Tomou posse em 1º de janeiro de 2023 e passou até agora 71 dias fora do Brasil. Visitou 28 países. Ainda assim, a Time resolveu deixá-lo de fora da relação de mais influentes –num contraponto ao discurso do Ministério das Relações Exteriores, que sempre afirma que o Brasil voltou a ser protagonista no exterior.

Na realidade, o Brasil com Lula esteve mais presente em fóruns internacionais. Mas isso não resultou necessariamente em mais prestígio nem em capacidade de influir.

O presidente brasileiro coleciona alguns fracassos nas suas missões internacionais. Tentou mediar a guerra entre Rússia e Ucrânia, mas afirmou que os 2 países eram responsáveis iguais pelo conflito. Não prosperou sua tentativa de ser um interlocutor neutro para conversar tanto com o russo Vladimir Putin como com o ucraniano Volodymyr Zelensky.

Depois, Lula pretendeu ser um negociador para interromper a guerra entre Israel e o grupo extremista Hamas, na Faixa de Gaza. Só que o presidente brasileiro classificou como genocídio equivalente ao de Hitler contra os judeus na 2ª Guerra Mundial o que Israel faz agora no revide aos árabes em Gaza. De novo, o Brasil ficou alijado do processo de negociações de paz no Oriente Médio.

Uma das grandes apostas do governo petista foi acelerar o processo de assinatura do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia. Para isso, deixou de lado em estado de quase congelamento o tratado que estava sendo negociado para a entrada do Brasil na OCDE. No fim, o grande aliado político de Lula na Europa, Emmanuel Macron, rejeitou o acordo com o Mercosul. E o Brasil ficou sem nada, pois a negociação com a OCDE também está paralisada.

Nas suas viagens internacionais, Lula teve grande cobertura da mídia brasileira. Em geral, as análises na mídia tradicional foram sempre muito favoráveis. Nos veículos internacionais, entretanto, a recepção foi sempre muito mais realista e fria. Quando o petista discursou em Nova York na abertura da Assembleia Geral da ONU, o destaque em jornais estrangeiros foi tímido.

Poder 360

Uma resposta

  1. Duas grandes celebridades….
    CARNIÇA DE URUBU e a FRANGA DE MACUMBA!

    😂😂😂😂😂😂😂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Categorias