Lula, você só dá a cobra para os aposentados? Tenha dó, companhêro!

lula e a cobra

O governo federal está trabalhando para retirar da pauta de votação da Câmara Federal o projeto de lei que concede aos aposentados que ganham acima do salário mínimo reajuste acima da inflação. As informações são de O Globo.

A proposta recebeu emenda no Senado que garante que esses aposentados também recebam aumento de acordo com o salário mínimo, assim como acontece com os que recebem o valor previdenciário (R$ 415).

A medida representa um aumento de R$ 6,9 bilhões em 2009 na folha do INSS. Em 2050, os gastos previstos com a Previdência pularia para 18,17% do PIB. Atualmente, o impacto é de 7,11% do PIB. Seriam 8,2 milhões de aposentados beneficiados.

A proposta é considerada inviável para o equilíbrio das contas públicas pelo governo.

Como votar contra o aumento pode representar menos votos nas eleições do próximo ano, o governo federal tem fracassado em convencer a base aliada a ficar ao seu lado.

A ideia dos parlamentares é aprovar a mudança para que o presidente Lula vete mais na frente.

Uma resposta

  1. Xerife, gostaria que você levasse ao conhecimento dos seus leitores, que a manobra do governo para impedir a aprovação do reajuste dos aposentados que ganham mais de um salário minimo, foi efetivada pelo deputado João Carlos Bacelar-PR(BA), partido dos dep. JOÃO MAIA e VIVALDO COSTA. Favor publicar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

outubro 2021
DSTQQSS
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31 
Categorias

Agenda: É dia de Robalba em Brasília (DF)

07h30 – Local: Natal/RN Viagem Embarque para Brasília.  17h00 – Local: Esplanada dos Ministérios, Brasília/DF Audiência Ministério da Integração Nacional, Ministro Fernando Bezerra Coelho.  19h30

Leia Mais

Câmara quer ouvir diretor da JBS

Em mais uma ofensiva contra o frigorífico JBS no Congresso Nacional, a Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 7,

Leia Mais