João Maia mandou novos argumentos para o MPF; procurador Rodrigo Telles não se convenceu

O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu o indeferimento do registro de Candidatura do Deputado Federal João Maia (PL) nesta terça-feira 30, considerando a condenação sofrida por excesso de doação para campanha eleitoral em 2010, cuja decisão, transitada em julgado em setembro de 2019, resultou em oito anos de inelegibilidade.

Em sua defesa, o parlamentar sustentou que não houve doação ilegal, mas o direcionamento do dinheiro para o seu comitê financeiro. No entanto, o procurador regional eleitoral, Rodrigo Telles, não acatou e reiterou o pedido para que a Justiça não acate o registro da candidatura de Maia e também para que o candidato não tenha acesso aos recursos públicos dos fundos eleitoral e partidário, com o objetivo de impedir prejuízo aos cofres públicos e aos demais candidatos do PL.

“É inegável o impacto social e político decorrente do excesso na doação equivalente a R$ 856.548,37, tendo em vista os rumos que uma quantia dessa monta pode conferir à campanha dos beneficiados, em claro e indevido favorecimento dos contemplados, em detrimento dos demais concorrentes ao pleito”, apontou Telles. 

Jornal Diário do RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

janeiro 2023
DSTQQSS
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031 
Categorias