Crise nas prefeituras do Seridó: uma mão na frente e outra atrás

Muitos prefeitos dos municípios seridoenses estão cortando gratificações e verbas de custeio, por causa da crise econômica.

Já há quem defenda o fechamento das prefeituras como forma de protesto diante da crise da queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios.

O bicho ainda vai pegar!

Torrar dinheiro de prefeitura com festas de ruas está fora de qualquer cogitação. Vamos ter pela frente festejos juninos magros. Sem muito alarido e contratações mínimas ou quase nenhuma de bandas para as praças públicas.

A previsão é de que a crise só está começando e que os próximos três meses serão de sofrimento.

Quem sobreviver, verá!

3 respostas

  1. É, mas parece que aqui em Currais Novos, a crise não chegou. Afinal, a farra tem sido grande. Somente com festas e apoio a time de futebol, Geraldo Gomes já gastou quase meio milhão de reais, em apenas três meses de administração. E já tá anunciando que o Forronovos será o maior de todos. Concluímos que a crise não chegou ainda na terra da scheelita.

  2. Em Cruzeta temos mais de 1 milhão de reais em caixa segundo o Prefeito Sally o que em nada muda na cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
Categorias

Chapa robusta

A chapa mais competitiva – até agora – para as eleições deste ano para prefeito de Caicó (RN) é a encabeçada pelo empresário Arthur Mainard.

Leia Mais