UFRN: tem que explicar mesmo

A UFRN tem até esta quinta-feira, 22, para se manifestar à Justiça sobre a criação da disciplina ‘Golpe de 2016 e o futuro do Brasil’, instituída para ser ministrada na especialização em Ciências Sociais. A determinação partiu da 5ª Vara Federal do Rio Grande do Norte.

O pedido foi feito em uma ação popular movida pelo ativista político do Movimento Brasil Livre (MBL) em Natal, Jaime Groff, que solicitou à justiça federal que o curso seja suspenso até o julgamento do processo. Na petição, o ativista alega que a temática do curso tem natureza política e se utiliza, indevidamente, do patrimônio público para distorcer os fatos que levaram o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef.

“É uma vergonha que esse tipo de coisa ainda esteja acontecendo. O uso da sala de aula da universidade para formação de militância política, paga com dinheiro público, demonstra a contaminação ideológica do magistério Potiguar”, disse o autor da ação.

3 respostas

  1. Vai dar em nada. Só mimimi… A UFRN vai falar que tem autonomia para colocar o curso que quiser para seus alunos e ponto final. Esse pessoal do MBL trata universitário como retardados, só pode.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

janeiro 2022
DSTQQSS
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031 
Categorias