TSE passará a ter estatística sobre raça e cor de candidatos nas eleições de 2014

O Tribunal Superior Eleitoral não tem estatísticas sobre o número de negros na política brasileira, nem políticos eleitos nem candidatos. A dificuldade para levantar o dado é que a autodeclaração de raça/cor, já incluída pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Censo e na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, não entra na ficha de registro das candidaturas.

Depois de questionamento da Agência Brasil sobre o levantamento e a falta de dados, o tribunal informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o grupo responsável pela avaliação das últimas eleições passou a considerar a inclusão do item raça/cor no processo eleitoral.

O TSE informou que depois de uma eleição inicia os preparativos para a próxima com uma série de avaliações das práticas que devem ser mantidas e as que podem ser aprimoradas. Segundo o tribunal, a sugestão de agregar ao sistema de registro de candidaturas a opção para o candidato declarar a sua cor foi encaminhada ao grupo de estatística, que está analisando a viabilidade e o formato da produção desse dado para as Eleições 2014.

2 respostas

  1. Raça e cor ñ é o caso. Deveriam se preocupar c/ o grau de instrução. Nível de escolaridade, estudo de línguas e até mesmo aprovação em concursos públicos.

Deixe um comentário para Nívia Fernandes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

dezembro 2022
DSTQQSS
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Categorias

Não vai ter greve dos bancários

O Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte suspendeu o indicativo de greve previsto para esta sexta-feira (24), acordado em assembleia na última segunda-feira

Leia Mais

Não tem preço

Ouvir da autoridade máxima dos Emirados Árabes, Xeique Mohammed bin Zayed Al Nahyan, que irá dobrar os investimentos no Brasil por causa da confiança no

Leia Mais