Três dos seis vereadores do PSB de Wilma não seguirão o partido no apoio a Carlos Eduardo

Durante a votação das contas do ex-prefeito Carlos Eduardo, o vereador Júlio Protásio (na foto), líder do PSB na Câmara, informou que a orientação do partido, referendada pela ex-governadora Wilma de Faria – presidente estadual da sigla, era votar de acordo com o parecer do TCE. Na manhã de ontem, a pessebista havia anunciado apoio do partido à candidatura do ex-prefeito. No entanto, Adenúbio Melo, Dickson Nasser e Bispo Francisco de Assis não seguiram a orientação da sigla. Eles abrirão dissidência e não apoiarão Carlos Eduardo no pleito deste ano.

Dickson está só esperando o mandato acabar para se desligar da legenda. Ele não será candidato à reeleição. Apoiará a candidatura do deputado federal Rogério Marinho (PSDB) Adenúbio desabafou. Ele disse que votou de acordo com suas convicções e já anunciou até um plano B, para o caso de o partido negar a legenda para sua candidatura à reeleição. “Se quiserem me expulsar, que me expulsem. Não fui infiel à sigla. Votei de acordo com minhas convicções. Minha decisão foi técnica. Se o partido me negar a legenda, lanço a candidatura da minha mulher, que é do PV, a vereadora”, ponderou.

Bispo Francisco de Assis se mostrou preocupado com o destino do partido. Ele já admitiu até que poderá não ser candidato à reeleição. Dissidente do rumo que o PSB tomou para as eleições de 2012, o parlamentar disse que conversará com os líderes da igreja Universal do Reino de Deus, sua congregação, para definir o futuro político. Ele disse que a legenda não se preocupou em se preparar para a eleição e poderá ter prejuízos na eleição municipal, caso não consiga uma nominata forte na proporcional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Categorias