Transferência para a nova sede do TJRN será de forma gradual

O Tribunal de Justiça está trabalhando para dentro do menor prazo possível, ainda neste semestre, transferir a sede atual do Poder Judiciário potiguar, na Cidade Alta, para o prédio da sede própria, construído no bairro de Nazaré, região Oeste de Natal.

No momento, segundo o TJRN, estão sendo feitas a instalação do mobiliário, do quadro de energia, entre outros serviços. Dentro de algumas semanas, o planejamento da administração da Justiça estadual é transferir algumas unidades da área de tecnologia, de engenharia e a Corregedoria Geral de Justiça para as novas instalações.

Em função da pandemia, o procedimento está sendo avaliado com todo o critério, obedecendo as normas de segurança sanitária e, por isso, a transferência deverá ser feita de forma gradual. O Tribunal de Justiça entregou parte da obra no dia 5 de janeiro passado, no final da gestão do desembargador João Rebouças.

Será a primeira sede própria nos 128 anos de história do Poder Judiciário no Rio Grande do Norte. Em razão das medidas sanitárias em prevenção à covid-19, a solenidade de entrega ocorreu de maneira híbrida, com presença no local do número reduzido de autoridades, convidados em sala virtual e transmissão ao vivo pelo canal do TJRN no Youtube.

A construção começou em 15 de dezembro de 2017. “Em cada andar, cada parede, cada compartimento deste prédio tem o esforço de várias administrações do TJRN, que deram sua contribuição para que chegássemos até aqui”, destacou João Rebouças, à época.

Após a mudança para o novo prédio, a previsão é de atendimento de um público diário entre 700 e 800 pessoas. O Poder Judiciário está investindo cerca de R$ 85 milhões, com recursos próprios economizados desde a década de 1990. Até se mudar em definitivo para o novo prédio, o Tribunal passou por seis diferentes sedes, todas na Cidade Alta, sendo a atual sua casa desde a década de 1970.

Além de uma melhor prestação de serviço, a construção da nova sede irá possibilitar também redução de despesas para o Poder Judiciário, uma vez que permitirá o fim de aluguéis de outros prédios para alocar unidades judiciárias e administrativas, como o Complexo Judiciário de Potilândia. A previsão é de que R$ 600 mil mensais sejam economizados a partir do remanejamento de unidades entre os prédios próprios e cedidos ao TJRN.

Projeto desenvolvido pelo Departamento de Engenharia e Arquitetura do TJRN, a nova sede é composta de um edifício administrativo, um edifício-garagem e um auditório, somando uma área de 30.852 metros quadrados construídos, segundo o site Migalhas.

A parte administrativa ocupa cerca de 12 mil metros quadrados, sendo distribuída em 12 pavimentos que abrigarão as secretarias administrativas. O edifício-garagem ocupa cerca de 18 mil metros quadrados. O prédio comportará 592 vagas para carros, 50 vagas para motos, além de uma sala reservada aos motoristas e três elevadores.

O auditório está sendo construído com instalações independentes do prédio administrativo. O projeto prevê 412 assentos, além de sala de áudio e vídeo, banheiros, copa e sala VIP. A estrutura também contará com um prédio de apoio, com 230 metros quadrados, que abrigará almoxarifado, depósitos, vestiários e sala de descanso.

Agora RN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

dezembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 
Categorias