Etiqueta: WhatsApp

Golpe no WhatsApp se espalha prometendo acesso a pesquisa eleitoral

O golpe é simples, bastante similar a tantos outros que circulam pelo WhatsApp há um bom tempo. A vítima recebe uma mensagem de um conhecido ou de um grupo do qual ela faz parte com um link para responder à pesquisa de intenção de voto.

Nesta página, há um formulário com cidade, estado e candidato em que pretende votar.

Depois de confirmar sua opinião, o usuário é orientado a compartilhar o link com seus contatos e grupos, que é a forma usada para disseminação da página. Só assim a pessoa pode supostamente ver os resultados da pesquisa.

Enviar fotos íntimas por WhatsApp é crime?

Não será extremo se o termo “nudes” entrar em algum dicionário no futuro: em época de WhatsApp, as fotos íntimas receberam seu significado próprio. Normalmente, lemos sobre vazamento de fotos e sabemos que já existem algumas leis sobre privacidade e dados na internet — como a Lei Carolina Dieckman e o Marco Civil. Mas, e o ato de enviar fotos íntimas via WhatsApp ou outros aplicativos? É crime?

O pessoal do dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe, foi atrás da resposta e avisou que não é crime desde que haja consenso entre as partes envolvidas. “Não existe nenhuma proibição legal na prática de enviar fotos íntimas para alguém. Contudo, por se tratar de um conteúdo digital, há sempre o risco de que esse material seja vazado. Nesse caso, o ato de espalhar fotos íntimas é crime perante a Constituição brasileira”, explica Frank Souza, especialista em privacidade digital do dfndr lab.

Desembargador que vendia decisões via WhatsApp é punido com aposentadoria compulsória

Durante sessão ordinária desta terça-feira, 18, o plenário do CNJ determinou a pena de aposentadoria compulsória para o desembargador do TJ/CE Carlos Rodrigues Feitosa por venda de decisões em plantões judiciários via WhatsApp e Facebook envolvendo a soltura de presos mediante pagamento em dinheiro.

De acordo com o MP, o filho do magistrado avisava no grupo do WhatsApp, composto majoritariamente por advogados, quando o seu pai estaria de plantão no Tribunal para que eles impetrassem HCs na Corte. Segundo a PF, eram cobrados valores entre R$ 50 mil e R$500 mil para cada decisão favorável durante os plantões de feriados e fins de semana no Tribunal para liberar presos, inclusive traficantes.

Ao analisar o caso, o conselheiro Luciano Frota, relator, concluiu que os fatos demonstraram clara violação dos deveres da magistratura.

WhatsApp começa a exibir prévia de mídias nas notificações do iOS

Visto anteriormente apenas na versão de testes do WhatsApp, a prévia de conteúdo multimídia surgiu com o propósito de oferecer acesso rápido a GIFs ou vídeos a partir das notificações do sistema, ou seja, dispensando a necessidade de abrir o aplicativo.

Nesta terça-feira (4), o site MacRumors informou que a funcionalidade já está disponível para alguns usuários do iOS 10 e posteriores. Quem já viu a nova função diz que qualquer conteúdo de mídia, que anteriormente era exibido apenas por um emoji representativo, passa a ser mostrado em uma prévia na própria seção de notificações do sistema.

Mais da metade dos usuários de WhatsApp querem pagar contas pelo app

De acordo com pesquisa realizada pela Mobile Time e a Opinion Box, com o patrocínio da Infobip, uma das maiores plataformas próprias de mensageria e comunicação do mundo, 53% dos usuários de WhatsApp no Brasil gostariam de fazer pagamentos e transferências bancárias pelo aplicativo. Destes, 44% prefeririam ter uma conta bancária criada pela plataforma, 37% gostariam de pagar com sua conta bancária tradicional e 19% optariam pelo cartão de crédito.

Juizado do Aeroporto receberá reclamações de usuários por meio do WhatsApp

Aeroporto Aluizio Alves

A partir do dia 3 de setembro os passageiros de voos nacionais e internacionais que partem ou chegam no Aeroporto Internacional Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, passam a contar com um serviço inovador oferecido pelo Juizado Especial do Aeroporto.

O Juizapp, nova ferramenta de atendimento por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, foi institucionalizado pelo Tribunal de Justiça do RN pensando em ouvir o passageiro e facilitar o acesso à informação de maneira prática, esclarecendo dúvidas e recebendo reclamações extrajudiciais envolvendo falhas nos serviços prestados pelas companhias aéreas.

O objetivo é responder, de forma célere, ao usuário que busca os serviços ofertados pelo Juizado do Aeroporto.

Candidatos apagados do WhatsApp

Dois candidatos do Partido Novo tiveram listas de transmissão do WhatsApp apagadas, e seus números banidos do aplicativo.

Vinicius Poit, candidato a deputado federal, e Daniel José, que disputa vaga no Legislativo estadual, dizem que foram informados por uma mensagem automática do aplicativo. “Seu número de telefone está banido de usar o WhatsApp, por favor contate o suporte para assistência.”

Poit reuniu em um ano e oito meses 30 mil contatos, distribuídos em cerca de 120 listas com 250 números em cada. Daniel José, por sua vez, acumulava mais de 4.500 números de telefone, distribuídos em 18 listas.

Ao entrar em contato com o WhatsApp, os candidatos foram informados que usuários do aplicativo haviam denunciado seu conteúdo como spam

Empresa é condenada em Natal a pagar R$ 20 mil por assédio sexual via WhatsApp

A 12ª Vara do Trabalho de Natal condenou a Giro Serviço de Rastreamento e Diagnóstico por Imagem LTDA. ao pagamento de R$ 20 mil para uma empregada que sofreu assédio sexual de um dos sócios da empresa.

O assédio ficou comprovado por meio de conversas registradas no aplicativo de mensagem WhatsApp, apresentadas pela autora da ação, nos quais o sócio da empresa pedia que a funcionária lhe enviasse “fotos sensuais”.

A empresa defendeu-se alegando que o celular era corporativo e não poderia garantir quem estava de posse do aparelho no momento em que as mensagens foram enviadas para a trabalhadora.

Para a sua decisão, o juiz do trabalho José Mauricio Pontes Júnior levou em consideração, além das conversas, que a foto utilizada pelo perfil no aplicativo de mensagens era do sócio da empresa.

Vazar conversas de grupo de WhatsApp causa dano moral

Se uma conversa é mantida em grupo privado de aplicativo, é “óbvio e claro” que seus participantes têm expectativa de que ela não seja divulgada. Com esse entendimento, o juiz James Hamilton de Oliveira Macedo, da 4ª Vara Cível de Curitiba, condenou um ex-diretor do Coritiba Foot Ball Club a pagar indenização por danos morais a ex-colegas por ter divulgado conversas que mantiveram num grupo no WhatsApp.

Ele terá de pagar R$ 5 mil a cada um dos oito integrantes do grupo. A ação foi movida por um dos diretores do Coritiba, representado pelo advogado Luiz Fernando Pereira, do Vernalha, Guimarães e Pereira Advogados.

O ex-diretor foi adicionado ao grupo, formado por outros diretores e executivos do clube, quando assumiu o cargo. No grupo, eles faziam piadas e comentavam a política interna do Coritiba — e falavam mal de outros integrantes do clube.

Quando deixou o cargo, o ex-diretor do time saiu do grupo e divulgou as conversas, inclusive a veículos de comunicação. O caso teve grande repercussão na comunidade esportiva, especialmente no Paraná.

“O abuso do direito de informar se deu pela forma como foram divulgadas as notícias, atingindo a imagem pessoal e profissional dos autores. Ora, considerando que as mensagens foram trocas em aplicativo de celular em grupo privado, resta patente que não poderiam ser divulgadas, ressaltando-se, notadamente, que caso quisessem que as mensagens trocadas fossem publicas teriam as partes o feito dessa forma”, disse o juiz.

Tim vai usar WhatsApp para se comunicar com clientes

A TIM anunciou, nesta quarta-feira (01), contrato comercial para utilização do WhatsApp Business, que permite a comunicação entre empresas e clientes.

A empresa já realiza testes com 1 grupo de clientes que recebem suas faturas via WhatsApp. Agora, a iniciativa vai ser ampliada para outros usuários.

Nova ferramenta do WhatsApp permite chamadas de áudio e vídeo em grupo

Após o sucesso do recurso de chamadas individuais, nas quais os usuários gastam mais de 2 bilhões de minutos por dia, o WhatsApp agora ganham uma nova ferramenta para de comunicação: as chamadas de áudio e vídeo em grupo.

Assim como os recursos do Skype, revolucionário da função em computadores, os participantes do chat agora poderão realizar, simultaneamente, chamadas de áudio e videoconferências de até quatro pessoas através do mensageiro.

Audiência via Whatsapp soluciona ação trabalhista de 15 anos no PR

Nem mesmo uma distância de 6.642 km foi capaz de impedir a solução de um processo que tramitava no TRT do Paraná há quase 15 anos. O uso da tecnologia e a vocação investigativa foram dois dos principais ingredientes dessa receita bem sucedida.

No início do processo tudo correu de forma rápida. A sentença foi proferida seis meses depois do início da ação e, após várias tentativas de solução do processo, este foi enviado para o arquivo provisório, onde permaneceu por 12 anos. Ao longo deste período, diversas providências foram tomadas no intuito de dar efetividade à decisão judicial, porém, sem êxito.

Vixe! WhatsApp vai limitar número de mensagens

O aplicativo de mensagens WhatsApp, que pertence ao Facebook, anunciou na última quinta-feira, 19, que vai testar limitar a quantidade de vezes que um usuário pode encaminhar uma mesma mensagem na plataforma. Segundo a empresa, o esforço vai ajudar combater a disseminação de notícias falsas. A medida faz parte de uma iniciativa global do WhatsApp, que no início deste mês, anunciou que oferecerá bolsas de estudo para pesquisadores que se dediquem a entender a circulação de boatos dentro do aplicativo.

Usuários de todo o mundo poderão encaminhar no máximo 20 mensagens ao seus contatos. Na Índia, a regra foi mais rígida devido aos últimos acontecimentos: os usuários indianos poderão encaminhar apenas cinco mensagens. Até então, o limite era 250 mensagens, aproximadamente.

“Acreditamos que essas mudanças — que continuaremos a avaliar — vão ajudar a manter o WhatsApp como a plataforma que ele foi criado para ser: um aplicativo de mensagens privadas”, disse a empresa em nota em seu blog.

O assunto fake news ficou mais grave para o WhatsApp nos últimos meses depois que o aplicativo foi acusado de permitir a disseminação de boatos que ocasionou linchamentos na Índia e outras mortes violentas em países como Myanmar e Sri Lanka.

No Brasil, os casos mais comuns estão relacionados aos golpes divulgados pelo aplicativo, como o que circulou na greve dos caminhoneiros, oferecendo uma lista de postos com gasolina. Cerca de 60 mil usuários foram vítimas dessa fraude em menos de 24 horas.

Compartilhamento. Essa não é a única mudança recente que o WhatsApp fez em relação às mensagens encaminhadas. No dia 10 de julho, a empresa anunciou que vai sinalizar quais das mensagens recebidas foram encaminhadas ao usuário — aparecerá escrito “encaminhada” no topo da mensagem. O objetivo é diferenciar as mensagens encaminhadas — que podem ser uma corrente viral ou até mesmo notícias falsas — das que são escritas pelo contato com que o usuário está conversando.

PF prende quadrilha suspeita de clonar WhatsApp de políticos

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (17/7) a Operação Swindle, com objetivo de desarticular grupo que realizava clonagens de números telefônicos de autoridades brasileiras para aplicar golpes via WhatsApp.

Policiais federais cumprem cinco mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva nos estados do Maranhão e Mato Grosso do Sul. As ordens foram expedidas pela Justiça Federal em Brasília.

De acordo com a PF, o grupo abria contas falsas. Os criminosos se “apossavam” informações em trocas de mensagens de WhatsApp de autoridades públicas e, fazendo-se passar por estas, solicitavam transferências bancárias das pessoas constantes de suas listas de contato.

Depósitos bancários
O deputado federal Ronaldo Fonseca (Pros-DF) foi vítima do golpe em fevereiro deste ano. Após perceber que seu celular estava sem sinal, o parlamentar recebeu um alerta da mulher: sua conta no WhatsApp ligada ao número funcional da Câmara dos Deputados estava enviando a contatos de sua lista telefônica pedidos de depósitos bancários.

“Eles mandaram mensagem no grupo da família. Aí, minha esposa viu e achou estranho”, contou o deputado à época. Nas mensagens, os criminosos iniciam um diálogo e questionam se o interlocutor possui conta no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal. Em seguida, pedem para o contato realizar uma transferência sob o pretexto de que o limite bancário já havia sido ultrapassado e o valor seria ressarcido em breve.

Usuários do WhatsApp já identificam notícias falsas

Mesmo que o WhatsApp ainda seja um instrumento sensível à divulgação das chamadas fake news, os usuários estão cada vez mais “treinados” para identificá-las – pelo menos quando o assunto é política. O excesso de otimismo, promessas grandiosas, informações sem referência (datas, fontes ou links), erros ortográficos, fotos sensacionalistas e propostas batidas têm causado desconfiança de quem usa o aplicativo.

Ao identificar um desses elementos, ou não concordar ideologicamente com seu conteúdo, o usuário tem evitado o compartilhamento automático de notícias e, logo, cogitado se tratar de fraude. Foi o que apontou um levantamento realizado entre passageiros de táxi e usuários do aplicativo.

O dado é alentador para os especialistas em marketing e aqueles que estudam a força do WhatsApp no jogo eleitoral. Para o professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB) Bruno Rangel, separar o que é informação do que é fake news ou simples propaganda política será um dos desafios fundamentais do eleitor. “A solução para o fim da disseminação de notícias falsas está muito mais na sociedade do que em normas jurídicas ou ações de repressão. Está em um uso mais consciente do aplicativo, um uso que implica não sairmos compartilhando qualquer conteúdo sem o mínimo de checagem”, afirma.

(mais…)

Novo golpe no WhatsApp promete passagens aéreas gratuitas

Um novo golpe vem sendo espalhado no Brasil via WhatsApp. A ameaça fraudulenta oferece duas passagens aéreas gratuitas, segundo informações da PSafe. A empresa de segurança afirma que os hackers utilizam a marca companhia aérea Gol para dar mais credibilidade à suposta promoção junto às vítimas.

A tecnologia antiphishing do app dfnder security, da PSafe, aponta que foram gerados mais de 30 mil ciberataques a partir do golpe em cerca de seis horas, noticia o IDG Now.

Como é costume nesse tipo de golpe, o ataque em questão leva o usuário até uma pesquisa falsa antes de poder acessar a suposta promoção – em que é preciso responder as perguntas como “Você já viajou esse ano?”

Depois das respostas (independente de qual seja), o usuário é direcionado para uma página em que é pedido que compartilhe a “promoção” com 30 amigos ou grupos de contatos no WhatsApp. De acordo com o texto falso, as supostas passagens seriam enviadas por e-mail em até dois dias após o resgate das mesmas pelo usuário.

 

Novo recurso a caminho do WhatsApp

Todo dia surge um novo golpe do WhatsApp e eles são sempre iguais: prometem alguma recompensa (que nunca chega) para usuários do aplicativo que clicarem em um link e compartilhá-los com os amigos. Esse tipo de ataque parece bobo, mas funciona e muitas vezes atinge milhares de pessoas em questão de horas. Agora a empresa está testando uma forma de alertar o público sobre essa armadilha

 

anxiety
art
beauty
combustion
entertainment
exercise
food
future
gain
guide
life
suggest
activity
anxiety
art
battle
beauty
calories
climbing
combustion
entertainment
exercise
food
future
gain
guide
life
suggest
anxiety
art
battle
beauty
calories
climbing
combustion
entertainment
exercise
food
future
gain
guide
life
locomotion
suggest
activity
banks
business
earnings
economy
enterprise
Interest%20rate
investment
Make%20a%20profit
markets
Motor%20car
oil
plan
profits
shares
transact
valor
advertising
alliances
animation
art
band
foundation
fun
games
hero
hot
manufacturing
movies
music
Rock%20and%20roll
series
song
time
vocalist
appetite
apply
artifice
benefit
building
business
city
company
cosmetics
costume
data
design
designers
details
develop
entrepreneur
family
fashion
finery
hackers
health
jewelry
limit
marketing
method
Microsoft
muscle
nutrition
perfume
shoot
sleep
style
tourism
administer
arthritis
diet
drinks
journey
menu
occupation

WhatsApp deixará de funcionar

O WhatsApp deixará de funcionar em alguns smartphones Android, iPhone, Windows, Nokia e BlackBerry antigos. Isso porque para que o aplicativo funcione, é preciso que o dispositivo tenha os seguintes sistemas operacionais:

Android 4.0 ou superior

iOS 8 ou superior

Windows Phone 8.1 ou superior

Atualmente, os sistemas abaixo já não oferecem mais suporte para o app:

Android 2.3.3 e mais antigos

Windows Phone 8.0 e mais antigos

iPhone 3GS / iOS 6

Nokia Symbian S60

BlackBerry OS e BlackBerry 10

Até o fim do ano, a empresa também deixará de oferecer suporte para o Nokia S40, além do iOS 7 e o Android 2.3.7 até o começo de 2020. Os usuários que usam uma dessas plataformas podem verificar se ainda há atualizações disponíveis em seu smartphone.

Tecnologia para privacidade impede rastreamento de boatos no WhatsApp

Enquanto o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, diz que eleições influenciadas por fake news podem ser anuladas, o papel político dos ambientes virtuais ainda é uma incógnita. Entre os inúmeros sistemas usados para distribuir boatos, o WhatsApp, em particular, é uma caixa-preta, blindando a origem e o compartilhamento dos conteúdos tanto para a Justiça como para a sua própria empresa-mãe, o Facebook. Não à toa, pelo menos dois juízes já suspenderam o serviço por tempo limitado em retaliação ao descumprimento, pelo Facebook, de decisões judiciais.

A Justiça determinara a abertura de mensagens trocadas por usuários. O problema para cumprir a ordem era simples, segundo a própria empresa: a criptografia impede a quebra de privacidade.

PP rompeu com governador de SP por WhatsApp

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), soube do mais duro revés já imposto aos seus planos de reeleição por mensagem de WhatsApp.

Foi em um texto curto que o presidente do PP paulista, Guilherme Mussi, avisou que estava rompendo aliança anunciada na semana passada e, de quebra, aderindo à campanha do principal rival do pessebista: João Doria (PSDB). A guinada fez até desafetos do tucano admitirem que é real a possibilidade de ele liquidar a disputa no primeiro turno.

Mais de 116 mil pessoas caíram no golpe do saldo do PIS via WhatsApp

Golpe digital novo na praça. E como acontece com frequência, o fator grana é o chamariz. O Governo Federal liberou desde a segunda-feira (18) o saque das cotas do Fundo PIS/Pasep para trabalhadores com mais de 57 anos de idade. Mas se aparecer uma consulta de saldo do PIS no WhatsApp, não clique.

Hackers estão encaminhando dois links maliciosos ou notificações pelo navegador Chrome que oferecem a falsa possibilidade de consultar o saldo a ser recebido. A denúncia do golpe vem do Dfndr Lab, laboratório da PSafe especializado em cibersegurança, e já alcançou 116 mil pessoas nas últimas 24 horas.

Golpe no WhatsApp tem políticos como principal alvo

Imagine que você recebe uma mensagem pelo WhatsApp de um contato conhecido, normalmente um familiar ou amigo próximo, pedindo que você faça uma transferência que ele próprio não é capaz de realizar.

Se o grau de intimidade for grande, você atenderia ao pedido, certo? Pois é justamente esse o modus operandi de uma quadrilha de criminosos que visa, principalmente, políticos, secretários e outros membros do governo em Brasília, em uma nova onda de golpes que parece contar até mesmo com integrantes dentro das operadoras de telefonia.

De acordo com informações do UOL, desde março, pelo menos 20 políticos tiveram seus números clonados como parte do golpe. Estariam na lista, por exemplo, Carlos Marun, atual ministro-chefe da Secretaria de Governo, Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil, Osmar Terra, líder da pasta de Desenvolvimento Social e Agrário e Fernando Coelho Filho, que dirigia o setor de Minas e Energia até abril deste ano.

Uma das vítimas também foi a vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti, em um golpe que teria levado quatro amigos ao envio total de cerca de R$ 8 mil aos criminosos. Na ocasião, também em março, ela informou aos contatos sobre a clonagem de seus números por meio do Facebook e disse também iniciado ação legal para chegar aos bandidos.

Globo proíbe jornalistas de opinarem sobre política até no Whatsapp

Os Princípios Editoriais do Grupo Globo ganharão uma nova versão em breve. A internet e as redes sociais mudaram a dinâmica da manifestação de opinião e a emissora pretende se cercar de cuidados, com a proximidade da Copa do Mundo e das Eleições.

Jornalistas da emissora serão expressamente proibidos de manifestarem opinião sobre times, de interagir no Facebook em posts políticos (até curtidas) e expressarem suas opiniões mesmo em conversas particulares do Whatsapp, de acordo com o Notícias da TV. A Globo já tem as regras de conduta sobre a manifestação da opinião, mas as redes sociais trouxeram outras exigências.

Correntistas do BB poderão fazer consultas por Whatsapp e Twitter

Em solução pioneira, a partir da próxima semana, os clientes do Banco do Brasil (BB) poderão fazer consultas por meio das redes sociais Whatsapp e Twitter, sem a necessidade de entrar no aplicativo da instituição financeira no smartphone.

O banco também ampliou as transações financeiras que podem ser realizadas por meio da função Messenger do Facebook, que já estão disponíveis para quem usa a rede social. Todas as operações serão realizadas por meio de inteligência artificial.

Saiba Primeiro no whatsapp do TRT (RN)

O serviço de notícias via whatsapp criado pela Divisão de Comunicação Social do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) tem servido de modelo para vários tribunais do país.

Criado em setembro do ano passado, o Saiba Primeiro consiste numa lista de transmissão com usuários cadastrados, que recebem as notícias da Justiça do Trabalho potiguar em primeira mão.

Para fazer parte da lista do Saiba Primeiro e receber notícias em primeira mão do TRT-RN, solicite sua participação através do número: (84) 9 9957-7688.

PF deve prender quem espalha notícias falsas no WhatsApp

O enorme impacto causado pelo compartilhamento de notícias falsas no WhatsApp durante a greve dos caminhoneiros despertou as autoridades públicas para a necessidade de coibir esse tipo de manifestação.

O ministro Eliseu Padilha disse na sexta-feira passada que os órgãos de inteligência estão apurando os autores das chamadas “fake news” e também quem ajuda a compartilhá-las, notadamente, no WhatsApp: “Não vai ficar sem punição quem tentar descaracterizar a verdade dos atos praticados pelo governo”, disse.

Informação falsa circula em grupos de WhatsApp afirmando que os eleitores sem biometria podem votar

O RN alerta para informações falsas que estão circulando em grupos de WhatsApp nos municípios onde acontecem as eleições suplementares neste domingo (03). Nas cinco cidades onde ocorrem as eleições suplementares (Galinhos, Parazinho, João Câmara, Pedro Avelino e São José do Campestre) somente estão aptos a votarem os eleitores em situação regular com a justiça eleitoral e que fizeram o cadastro biométrico até o dia 03 de janeiro de 2018.

A votação começou às 8 horas. Cada eleitor deve comparecer a sua seção eleitoral até às 17h. Em João Câmara e em São José do Campestre, os eleitores enfrentam chuvas no deslocamento para a votação. A totalização dos votos nas cinco cidades será realizada após as 17h

No WhatsApp, caminhoneiros falam em estender paralisação

No WhatsApp, as lideranças dos caminhoneiros pedem para os manifestantes estender a paralisação pelo menos até a próxima terça-feira, informa o Estadão.

Em alguns grupos, novas paralisações começam a ser organizadas a partir de amanhã.

“Pelo tom das conversas, as reivindicações vão além do problema do preço do diesel. Depois da dimensão que a greve tomou nos últimos dias, os motoristas acreditam que podem mudar o rumo do país. Cada um tem uma tese, mas todos apostam na força do exército como aliada e na intervenção militar como solução para os problemas do país”.

Golpe no WhatsApp promete kit de Dia das Mães de O Boticário

Uma promoção tentadora está circulando no aplicativo de mensagens WhatsApp. A marca de cosméticos O Boticário estaria doando kits para o Dia das Mães. A “oferta”, no entanto, é falsa e um risco ao consumidor.

Ao clicar no link da mensagem, o usuário é redirecionado a um site que pode roubar informações importantes e causar prejuízos.

A marca, por meio de nota, afirmou que está apurando a origem do ataque.Confira a nota na íntegra:

O Boticário esclarece que não está realizando nenhuma promoção com sorteio de kits de Dia das Mães, conforme informação que circula pelas redes sociais. O suposto sorteio, que direciona os interessados para uma página de internet, é falso, não corresponde com a realidade e ainda pode representar um risco a quem acessar links estranhos ou preencher possíveis formulários com dados pessoais. 

Posts Recentes

Posts Recentes

dezembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 
Categorias

Vaquejada vive

Enquanto em Brasília 20 pessoas protestavam contra a vaquejada, o 14° Potro do Futuro e Campeonato Nacional ABQM de Vaquejada teve o recorde histórico de

Leia Mais

Brasil 200 em Mossoró

Durante o lançamento do Brasil 200 em Natal já foi anunciado que o programa será lançado em Mossoró no dia 05 de março, pelos empresários

Leia Mais

Imposto salgado!

Caso os postos de combustíveis decidam repassar para o consumidor todo o aumento da alíquota de R$ 0,41 do PIS e Cofins pelo litro da

Leia Mais