Sob crise, gestão Dilma torna-se dependente do PMDB

A crise que rói o prestígio do ministro Antonio Palocci (Casa Civil) produziu um deslocamento do eixo político do governo Dilma Rousseff. Depreciado na composição do ministério e submetido a um conta-gotas no rateio de cargos de segundo escalão, o PMDB ganhou súbita proeminência.

Dilma descobriu-se mais dependente do partido do vice-presidente Michel Temer do que gostaria. Viu-se compelida a ajustar prematuramente seus planos. Mandou desengavetar os pedidos de nomeação do PMDB. Transferiu de Palocci para o ministro Luiz Sérgio (Relações Institucionais) a tarefa de filtrar os nomes.

A Folha de S. Paulo revelou em 15 de maio que Palocci multiplicou seu patrimônio em 20 vezes nos últimos quatro anos. Em 2010, ele faturou R$ 20 milhões com uma empresa de consultoria, a Projeto. O ministro se recusa a revelar a identidade de seus clientes e detalhes sobre os serviços que prestava.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829  
Categorias