Secretaria de Saúde desenvolve ações para combater casos de raiva animal em Caicó

CCZA secretaria municipal de Saúde vem desenvolvendo ações para combater casos de raiva animal na cidade de Caicó. Nas últimas semanas, um caso da doença foi registrado na zona rural do Município e os procedimentos foram feitos para evitar a proliferação. O fato aconteceu no Sítio Bela Flor, localizado no Perímetro Irrigado Sabugi, quando uma raposa agrediu um agricultor de identidade não revelada.

“Logo após a agressão o animal foi abatido pelo proprietário. Por suspeitar que a raposa estivesse com raiva, o paciente foi encaminhado para a Unidade de Saúde, foi procedido o soro antirrábico e está sendo feito o esquema de vacina, que são cinco doses. Isso é feito para evitar que o vírus entre na circulação do corpo e ele contraia essa doença mortal”, disse Gustavo Solano, médico veterinário e coordenador do Centro de Controle Zoonoses.

Já com relação à raposa, o cérebro foi levado ao Laboratório Central (Lacen), em Natal, no dia 10 de junho e, no dia seguinte, o resultado foi confirmado positivamente para a doença. Após a confirmação, técnicos da secretaria de Saúde fez o trabalho de bloqueio de foco na propriedade rural com vacinação de cães e gatos. “Detectamos, ainda, que essa raposa agrediu um cão e esse animal foi examinado, mas não está doente. Reforçamos a dose da vacina no cachorro, já que ele estava vacinado desde a campanha passada, e vamos ficar observando se ele terá outra reação comportamental”, ressaltou o coordenador.

Esse não é o primeiro caso da doença em raposas na cidade de Caicó. Este ano já foram encaminhadas para exame no Lacen as amostras de um cachorro, uma raposa e sete morcegos. Diferentemente dos anos anteriores, onde a positividade era dos morcegos, em 2013 apenas a raposa teve resultado positivo. Nos outros animais a suspeita não se confirmou.

“A raiva é transmitida pela saliva do animal. Existe a possibilidade da doença ser detectada em animais silvestres, como é caso do morcego e da raposa. Quando um mamífero desses está infectado e morre ele é expulso da sua colônia natural. Em seguida, um morcego, que está livre da doença, entra em contato com esse morto e vai passando a doença pela saliva. Do morcego passa para o cão, que passa para um gato e pode chegar ao ser humano, caso esses animais não estejam vacinados”, explicou Solano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

outubro 2021
DSTQQSS
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31 
Categorias