Saúde do RN esclarece ao blogue do Xerife sobre perda de vacina

A Secretaria de Estado da Saúde Pública esclarece que esse valor de perda operacional é estabelecido em norma técnica tanto federal, conforme pode ser consultado no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, como estadual, e que no próprio transporte realizado pelo Ministério da Saúde pode ocorrer.

A Sesap destaca que mesmo sendo considerada, essa perda pode não acontecer, o que permitirá ampliar a distribuição das doses e mais pessoas que estão previstas como prioridade nessa primeira etapa da fase 1 podem ser vacinadas.

É importante também esclarecer que uma perda operacional pode se dar pela quebra de algum frasco do imunobiológico em caso de transporte inadequado, por acidente em alguma sala de vacina resultando em quebra de frasco, ou em decorrência de oscilação da temperatura de armazenamento, inviabilizando o uso das doses.

Este percentual em estoque, indicado pelo Programa Nacional de Imunização, torna-se imprescindível para que se possa repor as doses que por ventura possam ser “perdidas”, visando garantir a vacinação do público estimado nesta etapa. Cabe lembrar ainda que o sistema RN+ Vacina prevê o monitoramento e auditoria da perda técnica de imunobiológicos para a Covid-19.

Outro ponto importante a ser destacado é que a secretaria, em parceria com a UFRN e a UERN atuaram na elaboração e divulgação de um programa completo de treinamento para vacinação contra Covid-19 aos vacinadores, contemplando a organização e estruturação das salas de vacina com vistas a mitigar a ocorrência de perdas técnicas de um insumo tão crítico e necessário no momento atual.

PS: O blogue do Xerife postou: https://robsonpiresxerife.com/imoral-governo-de-fatima-diz-que-vai-perder-4-mil-doses-da-vacina/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

março 2021
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Categorias

Depoimento adiado

O depoimento de Pedro Novis, presidente da Odebrecht de 2002 a 2009, foi adiado. Ele estava no comando da empresa quando a ORCRIM tomou conta

Leia Mais