Saiba as propostas de isolamento de três meses: aulas, idosos, bares, restaurantes e shows

O Ministério da Saúde apresentou neste sábado aos estados e municípios um “Plano de Ação da Quarentena” para os meses de abril, maio e junho, visando a reduzir a disseminação da Covid-19.

O plano é uma tentativa da pasta de unificar as ações de distanciamento social que já se multiplicam pelo país, e prevê diversas medidas que foram repetidamente criticadas pelo presidente Jair Bolsonaro, como o fechamento de escolas até o fim de abril —com possibilidade de extensão por mais 30 dias— , a proibição de qualquer evento de aglomeração (shows, cultos, futebol, cinema etc.) e a redução da capacidade de bares e restaurantes em 50%.

O documento enviado aos secretários estaduais e municipais de Saúde ainda é preliminar, segundo o ministro. O texto prevê que as chamadas “medidas de transição” sejam anunciadas na semana que se inicia em 6 de abril.

Elas fazem parte de um esforço do Planalto de alinhar, o máximo possível, o discurso em torno das medidas de isolamento social. Seria uma orientação geral para a contenção da doença que não paralise a economia, na linha do que Bolsonaro vem pedindo a Mandetta.

— Quando a gente determina a paralisação, imediatamente percebe que diminuem os acidentes e sobram os leitos que eram ocupados por eles. Há informações em alguns lugares de queda de 30%, 40% e até 50% da taxa de ocupação. É mais uma razão para a gente diminuir bastante a atividade de circulação de pessoas, um efeito secundário benéfico. Além do efeito de diminuir a transmissão (do coronavírus). Mais uma razão para ficarmos em casa, parados, até que consigamos colocar os equipamentos (de saúde) nas mãos dos que precisam.

— A evolução da pandemia no Brasil, em seus possíveis cenários, tem sido discutida sempre entre estados e Ministério. Este documento é um dos cenários em discussão há tempo. Apoiamos integralmente a equipe do Ministério da Saúde — afirmou Alberto Beltrame, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde

Confira as medidas em discussão para 30 dias

– Anunciar na semana de 6 de abril medidas de transição

– Escolas e universidades fechadas até o fim do mês de abril com atualização de cenário em 20/04, com possibilidade de extensão por mais 30 dias

Por três meses a contar da divulgação

– Distanciamento social para pessoas acima de 60 anos, com reavaliação mensal

– Distanciamento social para pessoas abaixo de 60 anos com doenças crônicas, com suporte financeiro governamental, com reavaliação mensal

– Distanciamento social no ambiente de trabalho

– Reuniões virtuais, teletrabalho, extensão do horário para diminuir densidade de equipe no espaço físico etc

– Isolamento domiciliar de sintomáticos e contatos domiciliares (exceto de serviços essenciais assintomáticos)

– Proibição de qualquer evento de aglomeração (shows, cultos, futebol, cinema, teatro, casa noturna etc)

– Bares e restaurantes: reduzir para 50% a capacidade instalada com intensificação das regras de prevenção (álcool, limpeza etc.)

– Trabalhadores informais serão contratados como promotores de saúde durante a resposta à Covid-19

– Orientar as pessoas na rua, identificar idosos e enviar para casa, limpeza de superfícies (com uniforme e envolvimento social)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Categorias