Relator pede abertura de inquérito contra Demóstenes Torres

Será na próxima terça-feira a votação, no Conselho de Ética do Senado, do relatório do senador Humberto Costa (PT-PE) pedindo a continuidade da investigação contra Demóstenes Torres (sem partido, ex-DEM-GO) por quebra de decoro parlamentar.

Para o petista, ao apresentar seu parecer prévio no órgão, o senador goiano deve ser investigado pelos colegas por ter mentido quando disse ter apenas relações pessoais com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Desde 2008, quando o regimento do Conselho de Ética foi modificado, é necessária a apresentação de um relatório prévio admitindo ou não a continuidade da investigação. Humberto Costa analisou se o Psol, autor da representação, tinha legitimidade para pedir a cassação por quebra de decoro. Também defende a necessidade de mais investigação, com produção e apresentação de provas. A expectativa entre os senadores é que, com a abertura do inquérito, Demóstenes seja cassado.

Durante a leitura do relatório, que o Congresso em Foco antecipou nestaquinta-feira, Humberto Costa ressaltou que não ia usar as diversas notícias publicadas na imprensa sobre o relacionamento de Demóstenes com Carlinhos Cachoeira. De acordo com o petista, embasado por decisões do Supremo Tribunal Federal (STF), reportagens não podem ser usadas como prova. “Toda análise de produção de provas vem em um segundo momento”, disse.

Costa defende a continuidade das investigações contra Demóstenes por seis motivos. O primeiro é o fato que, pelas gravações divulgadas até o momento, o senador goiano tinha conhecimento das atividades ilícitas de Carlinhos Cachoeira. Também por ter atuado para prevalecer os interesses do bicheiro no segmento de jogos de azar. Outra questão é ter recebido “valor questionável na forma de presente de casamento”.

Mas o principal para Humberto Costa é o fato de Demóstenes supostamente ter mentido aos colegas no seu pronunciamento em 6 de março, quando rejeitou qualquer envolvimento com o esquema de Carlinhos Cachoeira. “Tudo leva a crer que Sua Excelência se contradiz e teria faltado com a verdade perante seus pares”, afirmou o relator.

Por isso, o petista disse que o que está em debate não é a imagem do parlamentar, mas do Parlamento. “Se atinge a imagem do Senado Federal, não se pode subtrair os fatos graves narrados”, disparou. Ele ainda citou outras duas questões sobre o relacionamento de Demóstenes com Cachoeira. Primeiro, o fato de o senador goiano ter recebido um celular Nextel do bicheiro. Depois, de ter tratado do uso de um avião em telefonema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

fevereiro 2023
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728 
Categorias