Produção de queijo no Seridó caiu 40%

Após um ano inteiro de escassas e fracas chuvas, a cadeia produtiva do leite, que é uma das principais fontes de riqueza de regiões como o Seridó, passa por dificuldades. Seja pela falta da matéria-prima ou pelo aumento do preço, vender queijo, leite e iogurte tem sido menos lucrativo. E até o início do próximo período chuvoso não há perspectivas de melhora. Em Currais Novos, a produção já sofre uma baixa de 40%. Já em Caicó a produção foi retomada, mas com uma diminuição nas vendas, por conta do preço.

De acordo com Mariano Coelho, gerente da Cooperativa de Energia e Desenvolvimento Rural do Seridó (Cersel), a produção de queijo e iogurte caiu 40% em relação ao ano passado. Coelho também foi um dos entrevistados no projeto “Pelos caminhos da seca”, da TRIBUNA DO NORTE, em maio deste ano. Novamente perguntado acerca dos efeitos da estiagem, o gerente diz que a situação não piorou. Todavia também não melhorou. “Esperávamos uma diminuição de 60% até dezembro, mas conseguimos manter as perdas em 40%, o que ainda é muito ruim”, aponta.

Uma resposta

  1. Rapaz misturado do jeito que está o queijo tem muito mais farinha do que mesmo queijo, eu mesmo não comi mais queijo e faz muito tempo…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

setembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930 
Categorias