Pesquisa: Dilma hoje corre risco, diz diretor da Sensus

dilma broncaSegundo Ricardo Guedes, do Instituto Sensus, a recuperação de Dilma Rousseff para 35% ainda não coloca o PT em situação confortável para a eleição presidencial de 2014. Quem informa é Ricardo Boechat, na revista ISTOÉ. “O mínimo de popularidade para garantir a vitória é de 65%, e de 40% para competir”, observa Guedes.

O colunista observou que Dilma tem rejeição individual no total do eleitorado de 45%, acima dos 40% que inviabilizam um candidato. “Para ser competitiva, a rejeição tem de estar abaixo dos 35%”, diz Ricardo Guedes.

Segundo ainda Boechat, Dilma Rousseff vive em Brasília há vários anos, como ministra e presidenta, mas 2013, em especial, lhe tem sido um ano difícil. ”Dificuldades políticas à parte, a chefe do Executivo tem reclamado muito dos efeitos da seca na Capital Federal. Há mais de dois meses não chove na cidade, o que deixa a umidade do ar próxima a 30%.”

2 respostas

  1. Xerife,

    Quem manda no Brasil é o PMDB. Votei na Presidenta, mas com o PMDB mandando e desmandando, com 40 Ministérios, quebrando o Brasil, não sei se vou repetir o voto.

    Mas a oposição não tem candidato. No PSDB já não votava, e com o caso dos trens e do metrô de S.Paulo, aí é que não votarei mais.

    Marina Silva é piada.

    Resta Eduardo Campos, que talvez apoie a Presidenta e espere por 2018.

    Nesse quadro, só tem Dilma.

  2. O risco não é de Dilma, é toda uma nação que após 500 anos está podendo não apenas pensar o futuro, mas já realizar o presente, porém acometidos pela mídia, acreditam que PSDB, DEM, PPS, PSB, PMDB dispõe de políticos capazes de continuar o trabalho iniciado por LULA, porém em um regime democrática a maioria vence.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

dezembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031 
Categorias

Flechas de Janot derrubaram Temer

Marqueteiro do presidente Michel Temer, Elsinho Mouco viu algo positivo no fato de 60% dos pesquisados pelo Datafolha rejeitarem o emedebista: “40% não o rejeitam”.

Leia Mais