Os caminhos restantes para as vitórias de Trump e Biden

Várias possibilidades de vitória de Biden foram eliminadas com os primeiros resultados das urnas, mas ainda existem diferentes ‘avenidas’ para ambos os candidatos.

Ainda não são conhecidos os resultados de sete estados decisivos, os chamados ‘swing states’, que podem pender para qualquer partido.

Entenda o que não tem mais jeito de acontecer, e por que a eleição ainda está em aberto.

Biden perdeu a via expressa

Joe Biden já perdeu as possíveis ‘joias da coroa’ que lhe dariam uma vitória fácil.

Trump venceu na Flórida, o ‘swing state’ com o maior número de votos no Colégio Eleitoral (29). A Flórida é fundamental para Trump, mas Biden ainda tem outras possibilidades.

Muito se especulou sobre as chances de Biden virar o Texas, o maior e mais importante dos ‘estados vermelhos’, com 38 votos. Mas Trump venceu muito bem no Texas: neste momento conta com 52% dos votos, contra 46% de Biden.

A Muralha Azul

Em 2016, Trump venceu a eleição por ter rompido a Muralha Azul, um conjunto de estados que votavam consistentemente no candidato democrata. O republicano venceu em três estados dessa muralha: Wisconsin, Michigan e Pensilvânia, que juntos valem 46 votos.

Os resultados nos três estados ainda estão em aberto.

Se o mapa eleitoral de 2020 ficasse idêntico ao de 2016, exceto por esses três estados voltando ao ‘azul’, Biden leva. Se não, passa a depender de outros resultados.

Um ganho de Trump?

Está apertada a contagem no Nevada, onde Hillary Clinton venceu em 2016. O estado vale 6 votos. Uma vitória aqui poderia ser o único ganho de Trump em relação à eleição passada. Na projeção do FiveThirtyEight, as chances de Biden no Nevada eram de 88%.

Trump não precisa do Nevada. Está jogando na defesa, e precisa apenas repetir o mapa de 2016 ou até perder poucos votos.

Na terra de McCain

Outra corrida apertada é no Arizona, na fronteira com o México. O estado vale 11 votos e as chances de Biden, na projeção do FiveThirtyEight, eram de 68%. Trump venceu no Arizona em 2016. Se Biden vencer no Arizona, não será suficiente para levar a Casa Branca, mas a vitória aqui pode compensar parte de uma perda no trio da Muralha Azul.

A resposta do Sul

A decisão pode depender, como muitas vezes, do Sul dos Estados Unidos. Ainda estão abertas as corridas na Geórgia e na Carolina do Norte. A Geórgia vale 16 votos e a Carolina do Norte vale 15. Trump venceu em ambas em 2016. Obama levou a Carolina do Norte em 2008, uma rara vitória democrata. Já a Geórgia é um estado vermelhíssimo e lá um democrata não vence desde 1992 (Bill Clinton).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

janeiro 2021
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Categorias

Ei…! Vem cá!

Cadê o prefeito afastado de Caicó Robson Batata Araújo? A assessoria jurídica da Câmara Municipal de Vereadores procura o ex-gestor para notificá-lo do pedido de

Leia Mais

Macacada cheia de dinheiro!

Dinheiro de sobra, para investir é claro! O prefeito de Jardim de Piranhas, Antonio Macaco, e o irmão Luiz Macaco, que é presidente da câmara

Leia Mais