O Médico e o Monstro

Mal assumiu o posto de maior importância no Brasil, neste momento de pandemia, o médico paraibano Marcelo Queiroga já sofre ataques da grande imprensa brasileira.

Nem seu vasto e qualificado currículo lhe concedeu um só instante de trégua, quando o importante deveria ser a guerra contra o Covid-19.

O que deixa nítido que a guerra que a imprensa trava não é contra o vírus que vem ceifando vidas e destruindo nossa economia, mas sim, contra o presidente da república.

O vale tudo contra Bolsonaro, não vale nada para o Brasil e o monstro chamado Covid-19 parece receber até torcida por parte de jornalistas que já chegaram a desejar a morte do presidente.

Imprensa essa que comemora decisões favoráveis a Lula, que chegou a dizer: “Ainda bem que a natureza criou o Coronavírus”.

Não há mais dúvidas que o monstro do vírus tem além de torcida, muito marketing, muita propaganda na imprensa para justificar medidas autoritárias de eficácia contestável de governadores e prefeitos.

Veja que a grande imprensa não mostra a truculência de policiais contra comerciantes e cidadãos, inclusive as cenas típicas de ditaduras que vem cerceando o direito constitucional de ir e vir.

Com todo esse cenário, o Doutor tem um trabalho hercúleo pela frente, de uma só vez tem mais de 200 milhões de pacientes, que além do vírus que aterroriza, desespera e mata, precisa enfrentar ainda um monstro insensível, covarde e pronto a lhe ferir:

A imprensa que vende o caos e destrói reputações por interesse próprio e não público.

Por Renato Cunha Lima Filho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

Categorias