Penso, logo existo...

Novo escândalo em Macau: Empresário denuncia vice prefeito por comprar nota fiscal por R$ 1.500

A Prefeitura de Macau é um caso de estudo, entra ano, sai ano, muda gestão e as denuncias não param, sempre coisas muito graves e com dinheiro público envolvido, vejam o que destaca o Mossoró Hoje:
Da redação com informações do Focoelho e Transparência Macau
Mais caso de corrupção gravíssimo para o Ministério Público Estadual junto com a Policia Civil ou Federal investigar no município de Macaú, região da Costa Branca do Rio Grande do Norte, já famosa por cassações de prefeito, desvios de recursos públicos através de contratações superfaturadas de bandas para o Carnaval, entre outras modalidades de corrupção detectada nos últimos 10 anos. O empresário Juliano Gerônimo Lima da Silva, representante da Organizacional Assessoria e Associados, de Natal, acusa o vice-prefeito, o advogado Einstein Albert Siqueira Barbosa e o ex secretário de Tributação da Prefeitura de Macau, Leandro Nunes de Araújo, de comprar notas fiscais a ele por 1,500,00, preencher como se tivesse prestado serviços na ordem de R$ 40 mil e desviado os recursos públicos da Prefeitura de Macau. O desvia teria sido em 2013 e chegou ao conhecimento público, porque supostamente Einstein Albert não teria pago ao empresário Juliano Gerônimo o valor de R$ 1.500 combinado por cada nota fiscal. A empresa Organicazacional Assessoria e Associados tinha um contrato no valor de R$ 160 mil com a Prefeitura de Macau para ser pago em sete prestações. Destas sete prestações, Juliano Gerônimo diz que quatro foram pagas. Só que o referido empresário Juliano Gerônimo ficou no prejuízo. Não teria recebido a parte dele no esquema. O mesmo explica que o dinheiro era pago pela Prefeitura de Macau através de transferência bancária, depois ele ia ao banco, sacava e entregava o dinheiro a Leandro Nunes de Araújo, que seria o secretário de Tibutação de Macau à época, indicado para o cargo pelo vice-prefeito Einsten Albert, então aliado do prefeito Kerginaldo Pinto. “Na última nota nem o imposto me passaram, a partir daí não vi mais esse povo e agora espero receber o combinado, pois estou com muitas dificuldades financeiras”, disse Juliano em um áudio que se espalhou rapidamente nas redes sociais durante o final de semana, dando dimensão enorme a denúncia. Além do áudio, também foi divulgado prints de conversas do empresário fazendo a cobrança na Prefeitura. Procurado para comentar a gravidade da denuncia do empresário contra o vice-prefeito Einstein Albert, o prefeito Kerginaldo Pinto se disse surpreso com os fatos, e afirmou que enviará ao Ministério Público Estadual denúncia para que os responsáveis sejam punidos. O prefeito destaca que não aceita irregularidades em sua gestão e que iria entregar tudo ao Ministério Público Estadual. Procurado para comentar a gravíssima denúncia, o vice-prefeito Einstein Albert rebateu, dizendo que quem faz os contratos é o prefeito Kerginaldo Pinto e não ele. E denunciou que a história que ele estava desviando recursos públicos através de compra de notas fiscais foi uma armação orquestrada pelo prefeito Kerginaldo Pinto, que já sabe que vai terminar afastado por desvios de recursos públicos pela Justiça. Inclusive, o vice-prefeito, afirma sequer conhecer o empresário Juliano Gerônimo. Einstein Albert diz que tem audios onde o prefeito Kerginaldo Pinto e assessores combinam para forjar, junto com o empresário Juliano Gerônimo a denúncia contra ele, com o objetivo claro de transferir a responsabilidade do caso do prefeito Kerginaldo Pinto para o vice-prefeito, hoje rompidos politicamente e inimigos. O caso promete mais embates nos próximos dias, desta feita com o Ministério Público Estadual presente. BG

Robson Pires

Brasileiro Radialista e Jornalista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *