21/dez/2010

Ministro da CGU defende fim de emendas individuais


Por Robson Pires, em

O sistema de auditorias por sorteios, utilizado pela Controladoria-Geral da União, serviu para desbaratar nos últimos anos três grandes esquemas de desvio de verbas públicas federais, como a máfia das ambulâncias, “João de Barro” (desvio em habitações populares e saneamento) e, mais recentemente, as ofensivas aos recursos do Ministério do Turismo.

O dinheiro desviado provém de emendas parlamentares individuais ao Orçamento Geral da União. Num conluio que envolve parlamentares, prefeituras e as instituições que realizarão as obras e eventos, o dinheiro público vai sistematicamente sendo desviado para bolsos alheios.

“Sou totalmente contrário à existência das emendas orçamentárias individuais”, disse o ministro da Controladoria Geral da União, Jorge Hage (foto). “Primeiro, tais emendas pulverizam o dinheiro público em pequenas obras de interesse público menor. Em segundo, fazem com que o parlamentar federal exerça um papel de vereador, quando ele deveria estar preocupado com os grandes debates nacionais. E, finalmente, porque tem sido esse o principal caminho para os desvios de dinheiro público que verificamos”.


Nenhum Comentário Até o Momento, Seja o Primeiro a Comentar!

Deixe o seu comentário!


Twitter Facebook Instagram E-mail

  • 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00

Terça, 22 de Janeiro de 2019


Buscar no Blog



Fan Page. Curta!





Calendário

janeiro 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031