Penso, logo existo...

Enem: 1º dia tem correria, feminismo, Usain Bolt, Ziraldo e muita leitura

candidatos_enem G1 – O primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 exigiu mais conteúdo e leituras e privilegiou menos as imagens do que nas edições anteriores. Na prova de ciências da natureza, alguns dos temas que foram abordados incluem assuntos sobre genética e DNA, primeiros socorros e o desempenho esportivo de Usain Bolt. Já a prova de ciências humanas, que exigiu bastante leitura dos textos para chegar às alternativas corretas, trouxe como temas muitos pensadores do século XX, como Simone de Beauvoir e Friedrich Nietzsche, e charges de Amarildo e Ziraldo. Ao contrário de anos anteriores, a prova de ciências da natureza foi mais conteudista. Neste ano, para resolver as questões, era necessário mais conhecimento prévio de fórmulas. Além disso, caiu o número de questões que envolvia cálculos da regra de três. O Enem 2015 abordou a dengue em duas questões: em uma delas, o candidato precisava compará-la à febre amarela em relação à existência de vacinas. O filme “Titanic” foi tema de uma pergunta de física, sobre o fenômeno ótico da miragem. O poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade, considerado “figurinha carimbada” no Enem, apareceu em mais uma edição do exame do MEC. Desta vez, porém, na prova de ciências da natureza, em uma questão interdisciplinar onde o seu poema “A bomba” foi associado à bomba de urânio. Nas questões de química houve prevalência da química orgânica. Em uma delas, os candidatos tiveram que falar sobre os feromônios das abelhas e outra identificar quais elementos vinham das fórmulas colocadas na prova. Já em biologia, uma das questões pediu mais conhecimentos de primeiros socorros do que da matéria em si. Ela falava sobre o que fazer ao atender uma vítima de queimaduras. Outra questão de biologia falava sobre o efeito do oxigênio no sangue quando o corpo é exposto a altas altitudes. Nas 90 questões de ciências humanas, o Enem 2015 abordou um número grande de pensadores contemporâneos. A célebre frase de Simone de Beauvoir (“Não se nasce mulher, torna-se mulher”) foi citada em uma questão sobre as lutas feministas do início do século XX. O educador brasileiro Paulo Freire também foi tema de uma questão interpretativa sobre pensamento individual e coletivo. Outro brasileiro que apareceu nas provas deste ano foi o jornalista e sociólogo Sérgio Buarque de Holanda.

Robson Pires

Brasileiro Radialista e Jornalista!

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *