Penso, logo existo...

Cunha mobiliza aliados na tentativa de escapar da cassação

cunha_camara O tempo corre contra o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nos processos a que responde no Supremo Tribunal Federal (STF). Esta é a semana final para que seus advogados respondam à notificação expedida no último dia 26. Cunha é réu na investigação que apura crimes de corrupção e formação de quadrilha, entre outros. O parlamentar recebeu a denúncia apresentada contra ele pela Procuradoria-Geral da República (PGR), em agosto, e seus advogados teriam 15 dias para apresentar a defesa junto ao STF, mas apelaram e conseguiram outra quinzena para apresentar a defesa. O prazo de esgota em início de novembro. Se o quadro de fragilidade jurídica do peemedebista aumenta na medida em que o se esgotam os prazos para a defesa das denúncias contra ele, no nível político não é diferente. Em entrevista a um diário conservador paulistano, publicada nesta segunda-feira, o também deputado federal e ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirma que o presidente da Câmara não tem legitimidade para conduzir um processo de impeachment, por ter sido denunciado sob acusação de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras.

Robson Pires

Brasileiro Radialista e Jornalista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *