Penso, logo existo...

Casa das Palavras traz de volta os poetas mirins e promove encontro entre feras da ilustração

Os poetas mirins estarão de volta ao palco da Casa das Palavras neste sábado, com transmissão pela internet. Com o tema “A voz e a vez dos poetas mirins do RN”, Thiago Camilo, de 14 anos, da cidade de Currais Novos, e João Neto, de 11 anos, do município de Equador, irão declamar suas poesias e falar das influências e inspirações que recebem no dia a dia. A roda de conversa acontecerá das 08h30m às 10h, e será mediada pelo jornalista Rilder Medeiros. O projeto Casa das Palavras é patrocinado pela Cosern, Instituto Neoenergia e Governo do Estado, através da Lei Câmara Cascudo, e realizará também na manhã do sábado, a partir das 10:15h, um encontro com os ilustradores Fendy Silva, Filipe Anjo e Ilustralu. Com o tema “A ilustração fora da caixa”, o papo será mediado pelo jornalista Max Pereira. As inscrições são gratuitas e já estão abertas, podendo ser feitas através do site www.even3.com.br/casadaspalavras2020. Após o evento, os bate-papos ficarão disponíveis no canal do youtube da Casa das palavras. *Sobre o Projeto* Mais de 70 minibibliotecas distribuídas em 35 municípios do RN e mais de 20 mil livros compartilhados para leitura. O projeto Casa das Palavras é um verdadeiro mosaico cultural que teve início em 2014 e ao longo desses anos vem promovendo intercâmbios culturais entre artistas de várias cidades e provocando a vontade artística nas pessoas. Inquietar as figuras humanas através do incentivo ao teatro, xilogravura, música, dança, poesia, bonecos e o que há de melhor… as histórias! Os artistas e os livros são as bases para a formação e divulgação da Casa das Palavras. Já são 35 cidades visitadas, 73 minibibliotecas instaladas, cerca de 100 escritores(as) contemplados através da aquisição de livros e diversos artistas envolvidos em oficinas e apresentações. Além dos diversos personagens que se envolvem com a programação e ajuda a enriquecer o teto cultural do RN. O objetivo do projeto é aliar a educação e a arte, estabelecendo mais cidadania junto à população e incentivando a arte da leitura, além de resgatar e valorizar teatros, praças, igrejas e escolas que possam assumir o gosto e prazer da diversão e discussão cultural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *