Ministro Joaquim Barbosa, em data histórica, assume a presidência do STF

Foto

 Joaquim, Dr. Joaquim, Ministro Joaquim, parabéns! Embora nesses últimos trinta e um anos somente vez por outra nossos caminhos tenham se cruzado, em cada ocasião pudemos nos abraçar como antigos camaradas, mais vinculados do que permitiria supor a mera relação de advogado e cliente que nos colocou juntos, pela primeira vez, em 1981. Respeito e admiração tenho por Vossa Excelência desde então. Éramos ambos, então, bastante jovens – eu com 32, Vossência com 27 – esbanjando disposição para enfrentar boas e aguerridas disputas. Você, Joaquim, se não me engano, deixara há não muito o cargo de Oficial de Chancelaria no Itamaraty. Fiquei sabendo,depois, que por aquela época havia também prestado o concurso para o Instituto Rio Branco, tendo sido aprovado em todas as etapas acadêmicas. Menos numa, a de entrevista conduzida por não se sabe quem – se funcionário do Governo ou por representante de um tal de instituto IPSO  – que à época prestava serviços de psicologia aplicada ao MRE. Passei pelas mesmas entrevistas e só posso dizer uma coisa: eram inteiramente subjetivas e despropositadas. Pareciam ter alvos predeterminados, em particular aqueles que proventura não se encaixassem nos estereótipos tradicionais então prevalecentes na Casa de Rio Branco. Mas assim gira o mundo. A incompetência de quem o entrevistou, Ministro Joaquim, resultou indiretamente num serviço histórico à Nação. Leia na íntegra o artigo do jornalista e diplomata Pedro Luiz Rodrigues.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

Categorias

PSDB é vice

Não adianta a turma da chupeta choramingar: a primeira vice-presidência do Senado deverá ficar com o PSDB, a segunda maior bancada da Casa, com 12

Leia Mais