Militar, engenheiro e cientista participam da segunda noite do Congresso Seridó

congresso noite

A variedade de palestrantes marcou a segunda noite do Congresso de Negócios e Empreendedorismo do Seridó, nesta sexta-feira (22), no Clube dos Oficiais, em Caicó. O ciclo de palestras foi aberto pelo Tenente-Coronel Sirnando, comandante do Batalhão Seridó. O militar que já comandou a Companhia de Engenharia de Força de Paz no Haiti, falou sobre “organização e disciplina para atingir metas”, utilizando experiências bem sucedidas das forças armadas e adaptando para a vida empresarial. “Acredito que, em ambos os casos, é preciso ter disciplina para perseguir os objetivos, de maneira metódica, obedecendo às etapas que foram traçadas”, disse o comandante do exército.

Ele falou ainda que, numa missão de guerra, os militares precisam conhecer bem o inimigo e associou isso como um comportamento que precisa ser seguido pelos empresários. “Claro que não vou dizer que seu concorrente é seu inimigo, mas você precisa conhecê-lo bem para que possa se preparar para os passos que ele possa dar”, afirmou.

A segunda palestra foi a do doutor em engenharia elétrica e de computação, professor da UFRN, Ricardo Valentim, que falou sobre “Inovação, Superação e Sustentabilidade: os desafios da era informacional”. O professor já foi destaque na imprensa nacional por causa de um projeto coordenado por ele, que oferece independência às pessoas tetraplégicas. O projeto de nome “Autonomus” desenvolveu uma espécie de tiara com estruturas eletrônicas que permitem seus usuários, por exemplo, mudar de canal de TV, apenas piscando os olhos para mandar o comando para um programa de computador. “A informática veio para facilitar a vidas das pessoas e os empresários precisam aproveitá-la da melhor maneira possível”, disse o palestrante que sugeriu parcerias entre as universidades e as empresas.

A noite foi encerrada com a palestra polêmica de um dos cientistas mais conhecidos do Brasil, no campo da meteorologia. O professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas, Luiz Molion, é um dos poucos defensores no planeta, da teoria de que não existe aquecimento global a partir da emissão de gás carbônico na atmosfera.

PhD em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas, o cientista que já desenvolveu inclusive trabalhos para a NASA, defende que a Terra, passa sim, por períodos de aquecimento, mas que é um processo natural e que não tem elevado o nível dos mares. Luiz Molion apresenta vários dados que justificam a sua tese.

Depois de apresentar sua teoria o professor mostrou que o planeta ainda oferece condições de produção, inclusive no semiárido nordestino. “O nosso semiárido é o único onde não há baixíssimas temperaturas à noite. É o semiárido onde mais chove no mundo e perfeito para produzir. O que falta é vontade política para oferecer as condições necessárias”, falou o cientista.

O 2° Congresso de Negócios e Empreendedorismo do Seridó será encerrado hoje. A programação começa, às 15h, com a palestra dos mestres no campo da inovação, Gilvan Azevedo e Mauricio Sanches. Os dois estarão apresentando o tema “Empreender e Inovar: a arte de superar os obstáculos”. Ainda hoje serão apresentados também cases de sucesso e as palestras do consultor Fred Alecrim e o comediante Murilo Gun.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

maio 2021
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Categorias