Médicos discutem insegurança para o exercício da profissão

medicos_RN

O grande número de agressões a médicos, seja verbais ou físicas nas unidades públicas e privadas, provocadas pela alta demanda de pacientes em espera ou por falta de insumos está levando insegurança à categoria. Outro fator é violência nos locais de trabalho, muitas vezes em localidades onde a criminalidade é um fator de risco cada dia maior.

A insegurança no exercício da profissão médica foi discutida em uma reunião convocada pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (CREMERN), na tarde desta sexta-feira (22) na sede do Conselho, em Natal. O objetivo maior da reunião, de acordo com o presidente do CREMERN, Marcos Lima de Freitas, é ouvir denúncias e sugestões para intensificar ações que tragam mais segurança para a classe medica e para a sociedade.

“O médico não é responsável pela falência da saúde no País”. Foi com essa frase que a representante do Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Norte, Dra. Mônica Campos, definiu a atual situação que se encontra a classe média diante da insegurança que vive para exercer a profissão em hospitais e unidades de saúde da capital e do interior do Estado.

Uma resposta

  1. Muitos deles agridem a sociedade. Teve um que tentou me roubar, cobrando por um procedimento que o meu plano da saúda pagava. Ele queria que pagasse. Numa semana, ele já tinha cobrado de quatro colegas de trabalho. A emprega pagou, Ele recebeu duas vezes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

agosto 2022
DSTQQSS
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031 
Categorias

Deputado Tomba será investigado

As investigações sobre desvio de recursos na prefeitura municipal de Santa Cruz seguem também pela Controladoria Geral da União, órgão bastante conhecido pelo ex-gestor e

Leia Mais