Justiça reinicia oitivas do processo da Operação Pecado Capital

No quarto dia de depoimentos das testemunhas da Operação Pecado Capital, seis pessoas foram inquiridas na manhã desta segunda-feira (12). Dentre elas dois ex-funcionários da Platinum Veículos, empresa administrada por Rhandson de Macedo, irmão de Rychardson de Macedo. Ambos alegaram que a empresa vendia cerca de 40 veículos mensalmente e com cada venda recebia um percentual em taxas de retorno de vendas que variava entre R$ 1.200 e R$ 1.500.

Depois deles, depôs o ex-secretário estadual adjunto de Administração, Marcos Lael. Ele confirmou ao juiz Federal Hallison Rego Bezerra que o Estado não sabia que o Ipem havia contratado o posto para abastecimento dos veículos do orgão. Os esclarecimentos do gerente do Banco do Brasil Henrique Neto G. de Holanda foram prestados sem a presença da imprensa, visto que as informações bancárias dos réus estão em segredo de Justiça.

A depoente Leonara Pinheiro, ex-funcionaria do Ipem, ratificou que a maioria dos contratos eram feitos no gabinete do então diretor Rychardson de Macedo, sem passar pelo setor de recursos humanos quando relacionados a contratação de pessoal. A última testemunha a depôr foi Evanio Cordeiro do Nascimento, dono de um lava jato no qual os veículos do orgão eram lavados. O contrato do Lava Jato Pitimbu jamais foi encontrado no Ipem/RN. As oitivas serão retomadas hoje à tarde às 14h, com mais 14 testemunhas.

Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Categorias