Júlio Protásio acusa Micarla de “operar” para desaprovar contas de ex-prefeito

O líder do PSB na Câmara Municipal do Natal, vereador Júlio Protásio, acusou a prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), de “operar” na votação que desaprovou as contas referentes ao exercício de 2008 do ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT). O vereador acusou Micarla de Sousa de pressioná-lo para votar contra as contas do ex-prefeito e, após a votação, a prefeita teria determinado uma “varredura” nas secretarias do município para demitir todos os que tivesse ligação ou apoiassem os vereadores Franklin Capistrano e Júlio Protásio. O parlamentar garantiu que vai acionar o Ministério Público e a Justiça Eleitoral contra a prefeita e que o PSB vai tomar uma atitude com os vereadores que votaram pela desaprovação das contas. 

De acordo com Júlio Protásio, as exonerações de diversas pessoas ligadas a ele e Franklin Capistrano foram publicadas no Diário Oficial de hoje (25). Júlio Protásio acusou o vice-presidente da Funcarte, Edson Soares, de ligar para a mulher do vereador e perguntar se uma pessoa lotada no setor era ligada a Franklin Capistrano. “Ele disse que a orientação era exonerar todos os cargos ligados a Júlio e Franklin”, acusou Protásio.

A suposta perseguição, segundo Júlio Protásio, ocorreu porque ele e Franklin Capistrano não seguiram a orientação da prefeita. Júlio Protásio garantiu que Micarla de Sousa, há cerca de 40 dias, solicitou que o parlamentar votasse pela desaprovação das contas. No entanto, após a negativa de Protásio, ela enviou um interlocutor para convencer Júlio Protásio a mudar de posicionamento.

Tribuna do Norte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

setembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930 
Categorias