Hospital de Mossoró comprou equipamento irregular, denuncia Record

Um caso de saúde pública. O Hospital Wilson Rosado, de Mossoró, teria adqurido uma máquina de raio-X por um valor inferior ao praticado no mercado ao empresário paulista Paulo Gabriel Figueredo Alves, indiciado por estelionato e crimes contra o patrimônio público.

Uma máquina de raio-X nova custa em torno de R$ 300 mil. O empresário vende em torno de R$ 70 mil. O mais perturbador é como essas máquinas tão baratas são produzidas.

A reportagem da Rede Record, que denunciou o caso na semana passada, flagrou uma oficina de desmonte em Bertioga, litoral paulista, especializada em sucatas de máquinas de raio-X que são descartadas por hospitais. A partir dessa “sucata”, Paulo Gabriel Figueredo monta novas máquinas e vende a hospitais como se fossem novas.

Esse tipo de máquina é provido de tubo que emana a radiação. Em pequenas quantidades, ela é inofensiva. Mas, estando o tubo desregulado, hipótese considerada neste caso, a exposição pode levar pacientes expostos a desenvolverem câncer.

A Anvisa de Mossoró informou à reportagem do Nominuto.com que, na última inspeção realizada no Hospital Wilson Rosado, no ano passado, não foi detectada ilegalidade na máquina em questão, mas pediu que fossem encaminhadas todas as informações sobre o caso.

Ao longo de toda a manhã, a reportagem tentou contatar a direção do hospital, mas não obteve sucesso.

Do Nominuto.com

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias

Robinson Faria não mentiu

A senadora petista e candidata a governadora Fátima Bezerra, muito provavelmente, perdeu muitos seguidores,  depois que o chefe de uma ‘organização criminosa’ no Rio Grande

Leia Mais