Eleições 2014: dívida de campanhas no 1º turno chega a R$ 89 milhões

dinheiro 2Em meio às discussões sobre reforma política e possíveis mudanças no modelo de financiamento das campanhas eleitorais, os partidos terão que arcar com uma fatura indigesta, consequência direta do último pleito: R$ 89,8 milhões. Este é o valor da dívida deixada pelos candidatos a governador, eleitos ou não, que encerraram suas participações no primeiro turno do processo eleitoral. Levando-se em consideração apenas os 13 governadores eleitos no primeiro turno, a conta fica negativa em R$ 19,5 milhões.

Segundo matéria d’O Globo, a situação mais complicada é a do PT, que amargou um prejuízo de R$ 60 milhões, o equivalente a 66% do total. Nem mesmo Rui Costa, eleito governador da Bahia, construiu uma campanha saudável financeiramente, deixando uma dívida de R$ 13 milhões. Alexandre Padilha, ex-ministro da Saúde e derrotado na disputa pelo governo de São Paulo, ficou com o maior passivo entre todos os candidatos analisados: R$ 24 milhões. A situação seria ainda pior se o comitê de Dilma Rousseff e a própria direção nacional do partido não tivessem contribuído com Padilha. Em setembro e outubro, a campanha da presidente e o PT doaram, juntos, R$ 4,6 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posts Recentes

fevereiro 2023
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728 
Categorias

Jacó deverá trocar de partido

Filiado ao PSD, o deputado estadual Jacó Jácome deverá mudar para o PODEMOS, comandado pelo seu pai, deputado federal António Jácome, no Rio Grande do

Leia Mais