Defesa de Lindemberg entra com pedido de anulação do júri e redução da pena

ana lucia assad Defesa de Lindemberg entra com pedido de anulação do júri e redução da penaA advogada de Lindemberg Alves, Ana Lucia Assad (foto), protocolou um recurso no Fórum de Santo André (ABC paulista) contra o resultado do júri que condenou seu cliente a 98 anos e dez meses de prisão pela morte da ex-namorada Eloá Pimentel e mais 11 crimes, em 2008. A informação foi confirmada pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), que disse ainda que a advogada tem agora cinco dias para apresentar as razões pelas quais entrou com o recurso.

Ana Lucia informou que pediu a anulação do julgamento devido ao “cerceamento de defesa” e que solicitou também a redução da pena porque “a juíza Milena Dias não incluiu no julgamento a reclamação da defesa de que Lindemberg deveria ser julgado por crime continuado”, e não por 12 crimes, o que resultou em pena tão alta, segundo ela.

Após o final do julgamento e a leitura da sentença pela juíza, na última quinta-feira (16), a advogada já havia manifestado sua intenção de entrar com o recurso. Na ocasião, a promotora do caso, Daniela Hashimoto, disse não acreditar na anulação do julgamento. A promotora afirmou ainda que rebateria os argumentos da advogada em um eventual recurso.

Uma resposta

  1. A advogada está certíssima, perante a Lei, existe a figura do crime continuado. E essa pena foi de uma insensatez sem limites, qual foi o crime mais grave, o dos pais(Nardonis) que mataram a própria filha e da filha(Risthofen) que matou os próprios pais em situações premeditadass, ou de um quase adolescente que matou sobre o domínio de violenta emoção?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

março 2021
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Categorias

Viola desafinada

Os líderes do PSDB não se afinaram na homenagem ao ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo. Aécio Neves (MG) soltou nota em apoio à

Leia Mais