Cupins da corrupção corroem o País, diz Eliana Calmon

A ministra Eliana Calmon (STJ) afirmou nesta sexta-feira (1º) que a ação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) se torna “frágil” por conta das “das próprias vulnerabilidades humanas” de quem investiga. “A corrosão das instituições de controle no país, feita por cupins que abalam a sua estrutura, fragilizando os objetivos aspirados pela população”, disse Calmon. Para ela, é necessário proteger “a impessoalidade das provas e afastando quem investiga de pressões”.

A ministra lamentou o curto espaço de tempo que se fica sem escândalos no país, mas vibrou com a forma como os cidadãos clamam por Justiça. “O país está no caminho certo e evoluindo para o combate à corrupção, exigido no mundo globalizado”, afirmou. Calmon participou hoje do Seminário Nacional de Probidade Administrativa, no STJ, onde comemorou os 20 anos de assinatura da Lei da Probidade Administrativa – que, para ela, é “um dos instrumentos mais turbinados que se tem atualmente para o combate à corrupção”.

3 respostas

  1. HOJE VEJO O QUANTO RUI BARBOSA TINHA RAZÃO. SE VIVO ELE FOSSE, DIRIA COMO EU DIGO: SINTO VERGONHA DE SER HONESTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2021
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Categorias

‘Sexo nas olimpíadas’

Foram tantas as camisinhas jogadas nos vasos sanitários da Vila dos Atletas que o sistema de esgotamento sanitário do Eixo Olímpico, inaugurado no mês passado,

Leia Mais