‘Corrupção também é marca do PT na Educação’, diz Rogério Marinho

rogerioquadrilha

O Brasil ocupa a 60ª posição na avaliação de seu sistema educacional num ranking que avaliou 76 países. O levantamento foi produzido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e divulgado pelo jornal O Globo nesta quarta-feira (13). A medição considerou o resultado de testes de matemática e ciência aplicados nos países pesquisados. Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), o resultado comprova a falta de gestão realizada pelo governo federal no setor.

“Parte do governo federal a política de coordenação e definição das estratégias aplicadas para a educação no país. Mas estamos falando de uma gestão que se caracteriza por arrecadar recursos e não os administrar de maneira regular. Corrupção e desperdício são, também, marcas do PT presentes na educação. O resultado frágil mostrado pelo ranking não é, de modo algum, surpreendente”, destacou o tucano, que é coordenador do PSDB na Comissão de Educação da Câmara.

Segundo o deputado, as falhas na gestão praticadas pelo governo federal são mais decisivas para os problemas na área do que uma possível insuficiência de recursos. “Há muita discussão sobre o financiamento da educação, mas os problemas vão além disso. O governo do PT não promoveu uma estruturação da carreira de professor, um currículo mínimo para a educação, e nem mesmo uma atribuição clara do papel de cada ente da federação para a área. O Brasil não discute que tipo de profissional quer formar. Há muitos pontos críticos, e o governo não apresenta a solução para esses gargalos”, destacou.

Uma resposta

  1. Esse coronelão também votou pela aprovação do PL 4330, que joga a CLT no lixo e restaura a escravatura no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias

Prefeitos em maus lençóis

As dificuldades enfrentadas pelos prefeitos são muitas. A principal é a falta de recursos. Para conseguir fazer mais com menos, os gestores precisam tomar medidas

Leia Mais