Categoria: Brasil

Apenas Natália Bonavides

Somente a deputada federal Natália Bonavides (PT) votou contra a PEC (proposta de emenda à Constituição) que restitui as coligações em eleições proporcionais do Rio Grande do Norte (RN):

Confira votos:

Benes Leocádio (Republicanos) – sim
Beto Rosado (PP) – sim
Carla Dickson (PROS)- sim
General Girão (PSL) – sim
João Maia (PL) – sim
Natália Bonavides (PT) – não
Rafael Motta (RN) – sim
Walter Alves (MDB) – sim

Acendeu a luz amarela nos quartéis militares do Brasil

Após a entrevista coletiva do ex-Presidiário Lula da Silva em Recife (PE), quando indiretamente mandou recados as organizações militares brasileiras, afirmando que só manteria conversa com os milicos após o seu retorno à Presidência da República em 2023, pois assim ele falaria como Chefe Supremo das Forças Armadas, causou mal está nos Ministérios do Exército, Marinha e Aeronáutica, acendendo a luz amarela em todos os quartéis militares do Brasil.

Uma provável intervenção militar no país não será com o fechamento do Congresso Nacional, mas contra o Poder Judiciário, através do Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitora (TSE), em descumprimentos a Constituição do Brasil.

Zenaide defende e Comissão de Assuntos Sociais aprova audiência pública sobre MP 1045

  • “Aumentaram a jornada de trabalho de mineiros! Reduziram o valor da hora extra!”

A senadora Zenaide Maia (Pros-RN), vice-presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS), defendeu a realização de audiência pública no colegiado sobre a Medida Provisória 1045. Requerimento com este objetivo foi apresentado pelo senador Paulo Paim (PT –RS) e aprovado nesta terça-feira (17), após a defesa feita por Zenaide. “Na Câmara, acrescentaram uma minirreforma trabalhista! Aumentaram a jornada de trabalho dos mineiros – são 36 horas mensais a mais trabalhando em ambiente perigoso e insalubre! Nós temos que discutir isso!”, argumentou, indignada.

A senadora também citou outro ponto prejudicial da MP 1045: “Diminui de 50% para 20% do adicional da hora extra para secretárias, jornalistas, advogados, telefonistas, médicos, dentistas, aeronautas e outras categorias que têm regra própria de jornada! Então, é uma Medida Provisória que o governo mandou de um jeito e que a Câmara acrescentou pelo menos 20 itens a mais, fazendo uma reforma trabalhista!”, assinalou Zenaide Maia.

Ainda não há data para a audiência pública sobre a MP 1045 na CAS.

Chance de impeachment no STF é ‘zero’, dizem os próprios ministros

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmaram que a preocupação com um eventual pedido de impeachment de membros da corte é “zero”. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

A possibilidade foi levantada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que disse que levaria ao Senado um processo contra Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. De acordo com a avaliação de integrantes do STF, para que isso se concretizasse precisaria haver crime de responsabilidade, o que não há.

Além disso, um ministro afirmou que há apoio da maioria dos membros no caso da prisão do ex-deputado e presidente nacional do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), Roberto Jefferson, decretada por Moraes. Na determinação, há a acusação do ex-parlamentar participar de uma suposta milícia digital em ataques às instituições democráticas.

CNN

Bolsonaro deve entregar pedido de impeachment para mobilizar a base

O Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve entregar o pedido de impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e Alexandre de Moraes mesmo sabendo que ele deve ser engavetado no Senado. O objetivo seria apenas mobilizar ainda mais a sua base bolsonarista. As informações são da CNN.

Bolsonaro pretende entregar pessoalmente para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o pedido do impeachment dos ministros do STF. O senador pretende receber o presidente, mas deve engavetar o pedido.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, é um dos alvos principais do presidente por causa da defesa às urnas eletrônicas. Essa ação também serviria para contestar uma suposta eleição do ex-presidente Lula, hoje líder nas pesquisas eleitorais.

Após ataque ao STF, Sérgio Reis está com depressão

O cantor sertanejo Sérgio Reis entrou em depressão e está passando mal após a repercussão negativa do vídeo, onde ele promove uma manifestação a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contra o STF e a favor da ditadura militar, nas redes sociais. A informação foi publicada pela jornalista Mônica Bergamo.

“Ele está muito triste e depressivo porque foi mal interpretado. Ele quer apenas ajudar a população. […] Ele é querido e amado pelo Brasil inteiro, de direita, de esquerda. […] Está magoado demais. […] A diabetes dele subiu que é uma barbaridade por causa do estresse”, afirmou para a Folha de S. Paulo.

No vídeo, Sérgio promove uma tomada de Brasília em 7 de setembro, dia da Independência.

“Nós vamos parar 72 horas. Se não fizer nada, nas próximas 72 horas ninguém anda no país. Vai parar tudo. Não é só Brasília, é o país”, disse. “Nada nunca foi igual ao que vai acontecer. Se eles [os ministros do STF] não atenderem ao nosso pedido, a cobra vai fumar”, afirmava.

O sertanejo é apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que anunciou no sábado (14/8) que vai levar ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), um pedido para instaurar processo contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso. Segundo o chefe do Executivo, os dois “extrapolam com atos os limites constitucionais”.

Moraes mandou prender nessa sexta-feira (13/8) o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, aliado político do presidente. O ministro determinou a prisão preventiva do parlamentar por ataques a instituições democráticas.

Além disso, Bolsonaro também vem atacando Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Nos últimos meses, o presidente vem falando a apoiadores, mais uma vez sem provas, que ganhou as eleições em primeiro turno. De acordo com ele, o pleito de 2018 foi fraudado para que Fernando Haddad (PT) tivesse a oportunidade de enfrentá-lo em segundo turno.

Bolsonaro foi eleito, no turno complementar, o 38º presidente da República com 57.797.847 votos (55,13% dos votos válidos), contra 47.040.906 votos (44,87%) de Haddad.

Correio Braziliense

Senadora Zenaide defende dose de reforço para profissionais de saúde

A Senadora Zenaide Maia (Pros-RN), que é médica infectologista, e a médica pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz, Dra. Margareth Dalcomo, defenderam a aplicação de dose de reforço da vacina anti-covid-19 para profissionais de saúde. As duas participaram de audiência pública da Comissão de Acompanhamento das Ações de Enfrentamento à Covid (CT COVID-19), nesta segunda (16), e argumentaram que a exposição constante ao vírus requer maior proteção para esses profissionais. “Se cientificamente provada a necessidade de uma terceira dose, acho que os profissionais de saúde devem receber. É de uma importância fundamental!”, defendeu Zenaide, com a concordância da pesquisadora da FioCruz: “A nossa carga de exposição é permanente e as nossas taxas de adoecimento e mortalidade foram altas”, argumentou Margareth Dalcomo.

Durante a audiência pública, a senadora Zenaide cobrou da secretária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, a preparação do Ministério da Saúde para a eventual necessidade de aplicar doses de reforço na população; e a autonomia da Secretaria para promover campanhas com informações sobre as vacinas e demais orientações científicas para o controle da Pandemia.

Morre marqueteiro Duda Mendonça, famoso pela campanha “Lulinha, paz e amor”

Morreu nesta segunda-feira o publicitário Duda Mendonça. Ele tinha 77 anos e foi vítima de um câncer no cérebro. Duda estava internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo há dois meses.  A informação foi divulgada pelo colunista Lauro Jardim, do Globo.

Com longa carreira no meio da publicidade, Duda foi um dos marqueteiros políticos mais importantes da história do Brasil. Ele ficou famoso principalmente pela campanha vitoriosa de Lula em 2002, criando na ocasião o slogan “Lulinha, Paz e Amor”. Ele começou sua carreira em 1975, ao abrir a agência de publicidade DM9 em Salvador,  e estreou no marketing político 10 anos depois quando trabalhou na campanha de Mário Kertész para a prefeitura da capital baiana.

Sérgio Reis convoca caminhoneiros a ocupar Brasília para pedir intervenção militar

247 – O ex-deputado Sérgio Reis, que defende Jair Bolsonaro, virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, ao anunciar uma mobilização de caminhoneiros e empresários para o início de setembro, com o objetivo de pedir intervenção militar. Confira:

Roberto Jefferson chama Alexandre Moraes de “cachorro” e Barroso de “pederasta”; vídeo

Circula nas redes sociais um áudio gravado pelo ex-deputado federal Roberto Jefferson pouco antes de ser preso nesta sexta-feirta (13) por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. No áudio, o presidente nacional do PTB diz a amigos no WhatsApp que vai ser preso e fala em “ruptura da total da ordem constitucional”. Ele xinga o ministro Alexandre de Moraes de “vagabundo”, “bandido” e “cachorro do supremo”.

Roberto Jefferson ainda chama o ministro Luís Roberto Barroso de “pederasta”.

“O Presidente do Brasil” Alexandre Moraes mandou prender Roberto JEfferson

O Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (13/8) a prisão do ex-deputado e presidente nacional do PTB Roberto Jefferson por suposta participação em uma organização criminosa digital montada para ataques à democracia. Também foram cumpridas busca e apreensão na residência dele.

O pedido de prisão partiu da Polícia Federal, que detectou a atuação de Jefferson em uma espécie de milícia digital que tem feito ataques aos ministros do Supremo e às instituições. A investigação faz parte do novo inquérito aberto por ordem de Moraes após o arquivamento do inquérito dos atos antidemocráticos, para apurar uma organização criminosa digital.

Pelo Twitter, o ex-deputado afirmou que a PF estava na casa da ex-mulher dele. “Vamos ver de onde parte essa canalhice”, afirmou. Roberto Jefferson tem usado um perfil alternativo na rede social desde que a conta oficial foi retida pela plataforma.

Delator do escândalo do Mensalão, o ex-deputado já foi preso após condenação no caso. Atualmente, Jefferson é aliado do presidente Jair Bolsonaro e tem veiculado com frequência vídeos com ataques aos ministros do Supremo. Ele também já convidou o mandatário a se filiar ao PTB.

METRÓPOLES

Inimigos de Bolsnonaro se encontram

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Alexandre de Moraes se reuniu nesta segunda-feira (10) em um almoço em São Paulo (SP) com o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia e com o vice-governador de São Paulo (SP), Rodrigo Garcia. 

Moraes será o presidente do TSE durante as próximas eleições. Ao lado dos ministros do STF Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Luis Roberto Barroso, ele foi um dos que operaram junto ao Congresso Nacional para que a PEC do voto impresso não avançasse no Congresso.

Desfile militar confirmado em Brasília (DF)

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou o pedido dos partidos Psol e Rede pela suspensão do desfile militar previsto para acontecer na manhã desta terça-feira (10) na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). 

Natália Bonavides já estava na cadeia

A deputada federal Natália Bonavides volta a atacar nas suas Redes Sociais o Presidente Jair Bolsonaro a quem chamou de delinquente. Se ela disparasse essa gentileza contra um Ministro do STF já estava na cadeia.

Ministério de Rogério Marinho entregou 2.100 obras no 1º semestre

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) encerrou os seis primeiros meses de 2021 com 2,1 mil obras entregues em todas as regiões do País, o que representa uma média de 11,5 por dia. As ações, que contribuíram para a manutenção e criação de 1,5 milhão de empregos diretos, indiretos e induzidos, contemplam todas as áreas de atuação da Pasta: mobilidade, desenvolvimento regional e urbano, saneamento, segurança hídrica, habitação e defesa civil.

Neste período, o MDR executou um total de R$ 4,26 bilhões para concluir, retomar e dar continuidade a obras estruturantes, sendo R$ 3,16 bilhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 1,1 bilhão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

“Os resultados mostram que estamos no caminho certo para cumprir nossa missão, que é reduzir as desigualdades em um País tão diverso. E essa redução passa pelo desenvolvimento regional, pela formulação de políticas públicas que possam fomentar a economia e elevar o nível social da população, oferecendo os serviços básicos, como saneamento e habitação”, declarou o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Grande Ponto

Vixe! Relatório da CGU identifica “risco extremo de sobrepreço” na compra de tratores por Ministério de Rogério Marinho

Auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) identificou “risco extremo de sobrepreço” nos convênios do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para compra de tratores e equipamentos agrícolas com recursos de emendas do orçamento secreto.

Os gastos consumiram boa parte dos R$ 3 bilhões destinados por parlamentares a seus redutos eleitorais, sem qualquer transparência. A fiscalização foi feita pela CGU a pedido do ministro Rogério Marinho, que sempre negou irregularidade.

Segundo o Estadão, “o procedimento tramita em sigilo, com recusa da CGU em disponibilizar as notas de auditoria até agora produzidas”.

A apuração apontou que, em 115 convênios celebrados para a compra de nove tipos de máquinas, ‘o risco de sobrepreço foi considerado alto (entre 10% e 25%) ou extremo (acima de 25%) pela equipe de auditoria, totalizando o valor de R$ 12,1 milhões’

. A conclusão atinge 61% da amostra de 188 convênios firmados entre MDR e municípios com recursos originários de emenda de relator (RP9) no ano de 2020. É esse tipo de emenda que foi utilizada para fazer o ‘tratoraço’.”

O risco alto ou extremo foi identificado em 83% dos instrumentos de convênio analisados, ou 40 de 48 convênios.

“O total de sobrepreço apurado pela equipe, segundo a metodologia aplicada, foi de R$ 2.525.385,53, o que representa 17% do total previsto pelos convenentes para aquisição de tratores com potência entre 75 cv e 85 cv”, disse a auditoria.

Além disso, a CGU apontou “ausência de procedimentos de controle e/ou banco de dados de referência do MDR, para otimizar a verificação da conformidade dos valores apresentados pelos convenentes na etapa de formalização dos instrumentos de repasse”.

Apesar de ainda não ter se encerrado, diz o jornal, a auditoria da CGU já apontou “necessidade de melhorias e/ou implementação de novos procedimentos de controle por parte do MDR de forma a mitigar os riscos de não atendimento à IN nº 73/2020 por parte dos convenentes, assim como eventuais inconformidade/irregularidades na documentação técnica e valores de equipamentos aprovados por meio de convênios”.

Para incentivar pesquisas, deputado Walter Alves quer ampliar atuação do CNPq

O deputado federal Walter Alves (MDB-RN) apresentou um Projeto de Lei (PL 2687/21) que altera e amplia a lei que regulamenta o uso do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) para projetos e atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) a partir do setor privado. “Queremos incentivar pesquisas e aproveitar riquezas potenciais do país contribuindo para a economia, saúde e bem-estar de todos”, explica o parlamentar.

De acordo com o projeto, a ampliação do uso do FNDCT ocorre via Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Walter Alves explica que a Constituição Federal prescreve que cabe ao Estado a promoção e incentivo do desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação científica e tecnológica, e a inovação. “Visando ao bem público, a pesquisa científica básica e tecnológica deve receber um tratamento prioritário do Estado, focando na solução dos problemas brasileiros”, pontua.

(mais…)

Zenaide lamenta aprovação, na Câmara, da venda dos Correios: “Não é vendendo patrimônio que a gente vai sair da crise!”

A Senadora Zenaide Maia (Pros – RN) reagiu à aprovação, na Câmara, do PL 591/2021, que abre caminho para a privatização dos Correios. “Vende-se o patrimônio do povo, que o povo construiu, uma instituição centenária!”, lamentou a parlamentar na sessão do Senado desta quinta-feira (05). Zenaide fez um apelo para que os senadores não aprovem o projeto, quando ele chegar à pauta de votações da Casa, e também questionou o governo sobre onde ele pretende aplicar o dinheiro, caso a venda se concretize: “Saber do ministério da Economia, do presidente da República, onde bota o dinheiro da venda do patrimônio do povo? Para onde está indo esse dinheiro?”, indagou.

A senadora acrescentou que a empresa brasileira de Correios e Telégrafos lucrou R$ 1,5 bilhão em 2020 e argumentou que nenhum empresário venderia sua empresa, se ela fosse lucrativa assim. “Mas o governo se acha no direito de vender o patrimônio que é do povo!”, criticou. Para Zenaide, o que os brasileiros e brasileiras precisam é de um Estado que os ajude a sair da crise: “O Estado brasileiro tem que investir em infraestrutura, para gerar emprego e renda. Não é vendendo patrimônio e fazendo ajuste fiscal – até o salário mínimo não tem mais aumento real – que a gente vai sair dessa crise financeira, não!”, finalizou.

Benes, Carla, Natália e Rafael votaram contra a privatização dos Correios

A Câmara dos Deputados aprovou ontem (5) o projeto de lei que abre caminho para a privatização dos Correios com o apoio de quatro votos de deputados eleitos pelo RN: Beto, Girão, João Maia e Valter Alves.

Votaram não: Natália e Rafael Motta.

Faltaram a Sessão: Benes Leocádio e Carla Dickson.

Os últimos ligados a ala Bolsonarista. Carla ocupa cargo emprestado do Ministro das Comunicações Fábio Faria. E Benes Leocádio é aliado de Jair Bolsonaro.

Benes se junta a Natália e Rafael contra privatização dos Correios

A maioria da bancada do Rio Grande do Norte (RN) votou a favor da privatização: Beto Rosado, Carla Dickson, General Girão, João Maia e Walter Alves. Apenas Natália Bonavides e Rafael Motta votaram, contra. E o deputado Benes Leocádio não votou.

PS: Benes contrariou os interesses dos Bolsonaristas.

Benes não votou a favor da privatização dos Correios e desagradou aos Bolsonaristas

O Deputado Federal e que se diz pré-candidato a Governador contra Fátima Bezerra nas eleições de 2022, Benes Leocádio, – que é o ultimo lugar nas pesquisas – desagradou a ala Bolsonarista no Rio Grande do Norte (RN) – leia-se Rogério Marinho (Ministro do Desenvolvimento) e, principalmente Fábio Faria (Ministro das Comunicações), ao se negar a votar pela privatização dos Correios. Não compareceu a votação.

Veja como os deputados do RN votaram na privatização dos Correios

A Câmara dos Deputados aprovou hoje, por 283 votos a favor, 173 contrários e duas abstenções, o texto-base do projeto que autoriza a privatização dos Correios.

O projeto de privatização dos Correios é prioritário para o Governo Jair Bolsonaro (sem partido).

No Rio Grande do Norte (RN), o placar foi o seguinte:

Beto Rosado (Progressistas) – a favor;
Benes Leocádio (Republicanos) – ausente;
Carla Dickson (Pros) – a favor;
General Girão (PSL) – a favor;
João Maia (PL) – a favor;
Natália Bonavides (PT) – contra;
Rafael Motta (PSB) – contra;
Walter Alves (MDB) – a favor.

Por Saulo Vale

STF abre investigação contra Bolsonaro por fake news sobre urnas eletrônicas

247 – O Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu a notícia-crime encaminhada pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luis Roberto Barroso, contra Jair Bolsonaro pelas acusações de fraude que ele fez contra as urnas eletrônicas.

Barroso acusa Bolsonaro de ter divulgado informações falsas durante transmissão ao vivo nas redes sociais e de atacar as instituições. A decisão de Moraes atende ao pedido aprovado por unanimidade pelos ministros do TSE na sessão da segunda-feira, 2.

A investigação criminal pode tornar Bolsonaro inelegível, se o Ministério Público entender ao fim da apuração que há elementos para denúncia, a Câmara dos Deputados aprovar, com ⅔ dos votos, o prosseguimento do processo e houver condenação no STF.

Moraes também determinou a transcrição integral do vídeo em que Bolsonaro acusa fraude nas urnas eletrônicas. Além disso, ordenou oitiva dos envolvidos na transmissão do pronunciamento na condição de testemunhas, como o ministro da Justiça, Anderson Torres, o coronel e assessor da Casa Civil Eduardo Gomes, entre outros que deverão ser ouvidos em até 10 dias.

A investigação ocorre no âmbito do inquérito das fake news, que foi aberto em março de 2019, por decisão do então presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, para investigar notícias fraudulentas, ofensas e ameaças a ministros do STF. Moraes é relator do inquérito no Supremo.

URGENTE: Clubes Militares da Marinha, Exército e Aeronáutica fazem nota duríssima contra TSE e apoiam voto impresso

O Clube Militar, o Clube Clube Naval e o Clube de Aeronáutica, formados por oficiais da reserva das Forças Armadas brasileiras, emitiram em conjunto uma noite desta segunda-feira (2) defendendo a proposta de “voto auditável”, bandeira defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e motivo de confrontos com o Supremo Tribunal Eleitoral (TSE).

A nota reproduz os argumentos utilizados por  Bolsonaro em sua transmissões pelas redes sociais na última quinta-feira (29). Segundo os oficiais da reserva, “Auditagem das urnas não pode ser enxergada a olho nu. Trata-se,  de uma inescrutável caixa preta. A  inviolabilidade das urnas eletrônicas, atestada pela própria equipe técnica do TSE, não pode ser um dogma. O TSE bloqueia sistematicamente propostas de teste do sistema solicitados por equipes externas, o  que pode levar à suspeita de que tem algo a esconder”, diz o comunicado. A apuração das urnas não é feita em segredo, representantes dos partidos participantes da disputa acompanham a apuração.

(mais…)

Bolsonaro diz que Lula “vendeu até a mãe” para continuar no poder

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alfinetou, na manhã desta segunda-feira (2/8), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dizendo que o “petista vendeu até a mãe para ficar no poder”.

“Querem dar a direção ao Brasil para um corrupto, cachaceiro, que arrebentou as estatais, loteava tudo aqui e vendeu até a mãe para ficar no poder, aparelhou tudo… Querem fazer igual a Argentina? As consequência vêm aí”, disse Bolsonaro.

O mandatário ainda acusou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE ) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, de ajudar a soltar o ex-presidente para colocá-lo no poder novamente.

“O Barroso ajuda a botar o cara pra fora da cadeira e o torna elegível e o Barroso vai contar os votos dele lá, quais as consequências disso? Se as eleições tiverem problema, dizem ‘recorra à Justiça’. Qual Justiça? O Supremo, que colocou o Lula para fora e o tornou elegível?”, argumentou Bolsonaro na conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

O mandatário da República também afirmou que Barroso “se acha o máximo”, mas sua atuação tem limites. “Entre outras coisas, ele [Barroso] defende o aborto, a liberação de drogas, ele defende um montão de coisa que não presta. Ele se acha o máximo. Agora, ele tem os limites dele, eu tenho os meus e ele tem os deles. E ele tá abusando não é de hoje”, disse a apoiadores.

Metrópoles

Bolsonaro volta a levantar a bola de Rogério Marinho

 Durante sua Live o Presidente Jair Bolsonaro voltou a levantar a bola Ministro do Desenvolvimento Regional Rogério Marinho. Disse que: Rogério Marinho de “o nosso cabra do Rio Grande do Norte (RN)”.

VEJA VÍDEO:

Moleques

Nenhum Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) tem moral para chamar o Presidente Bolsonaro de MOLEQUE. Eles todos é que são MOLEQUES.

Câmara Federal também quer apurar fala do Senador Styvenson Valentim

Após o senador Styvenson Valentim ter insinuado que uma mulher havia merecido ser agredida, a Secretaria da Mulher e a Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados pediram a apuração da denúncia de violência contra a mulher e violência política de gênero por parte de Styvenson.

A manifestação de Styvenson denota clara incitação à violência política de gênero e atenta contra a postura exigida a um parlamentar representante do povo”, afirmou a deputada Tereza Nelma, procuradora da Mulher, no ofício enviado a Rodrigo Pacheco.

Conforme a coluna noticiou no último sábado, ao comentar o caso de uma mulher agredida por um policial, Valentim insinuou que as atitudes da vítima podem ter feito que ela merecesse apanhar.

Metrópoles 

Posts Recentes

Posts Recentes

setembro 2021
DSTQQSS
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930 
Categorias

Banho eleitoral condenável

Li, ontem, que o ex-presidente Lula está tão entusiasmado com a viagem programada para o próximo domingo a Monteiro (PB), para inaugurar, extraoficialmente, a chegada

Leia Mais