Boeing é atingida por acusações de delatores que elevam preocupações sobre segurança

A agência de aviação dos Estados Unidos (FAA) está investigando as alegações de um denunciante da Boeing de que a empresa não levou em conta questões de segurança e qualidade na produção dos jatos 787 e 777, informou um porta-voz da agência na terça-feira (10). A fabricante de aviões vem enfrentando uma crise de segurança que minou sua reputação após o desprendimento de um pedaço de fuselagem de um jato Boeing operado pela Alaska Airlines em pleno voo em janeiro. A empresa passou por uma mudança na administração, os órgãos reguladores dos EUA restringiram sua produção e as entregas caíram pela metade em março. As informações são da Forbes Brasil.

As acusações do engenheiro da Boeing Sam Salehpour referem-se ao trabalho nos jatos 787 e 777 da empresa. O denunciante disse que sofreu retaliação, como ameaças e exclusão de reuniões, depois que identificou problemas de engenharia que afetavam a integridade estrutural dos jatos e alegou que a Boeing preferiu optar por atalhos para reduzir gargalos durante a montagem do 787, disseram seus advogados.

A Boeing disse que está totalmente confiante no 787 Dreamliner, acrescentando que as alegações “são imprecisas e não representam o trabalho abrangente que a Boeing fez para garantir a qualidade e a segurança de longo prazo da aeronave”.

Salehpour observou atalhos usados pela Boeing para reduzir os gargalos durante o processo de montagem do 787 que colocaram “estresse excessivo nas principais juntas do avião e resíduos de perfuração embutidos entre as principais juntas em mais de 1.000 aviões”, disseram seus advogados.

O engenheiro disse em uma entrevista coletiva a jornalistas na terça-feira que viu problemas de desalinhamento na produção do jato 777 que foram resolvidos com o uso de força. “Eu literalmente vi pessoas pulando sobre as peças do avião para que elas se alinhassem”, afirmou.

“O relato voluntário sem medo de represálias é um componente essencial da segurança da aviação”, disse a FAA. “Incentivamos todos no setor de aviação a compartilhar informações. Investigamos minuciosamente todas as denúncias.”

A Society of Professional Engineering Employees in Aerospace (SPEEA) afirmou que Salehpour é um membro que trabalha na fábrica da Boeing em Everett, Washington. O sindicato de engenheiros disse que não poderia comentar sobre as preocupações específicas de Salehpour.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2024
D S T Q Q S S
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Categorias