Bebidas alcoólicas aumentam entre as mulheres; confira os efeitos

mulheres bebendo Bebidas alcoólicas aumentam entre as mulheres; confira os efeitos

Consumir bebida alcoólica moderadamente não acarreta nenhum problema, o que prejudica é que seu uso se torna um vício. A frequência de consumo de bebidas alcoólicas entre as mulheres tem se tornado cada vez mais frequente.

Segundo a PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) 17% das mulheres com mais de 18 anos de idade consumiram bebidas alcoólicas uma vez ou mais por semana em 2019.  O estudo foi realizado com base no estado da saúde, estilo de vida, saúde bucal e doenças crônicas.

De acordo com Alfredo Almeida Pina Oliveira, especialista em práticas de promoção da saúde e coordenador do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Enfermagem da Universidade UNG, apesar do consumo do álcool ser muito comum, existem problemas que podem ser reduzidos ou evitados relacionados as bebidas.

Os riscos dependem de diversos fatores como a quantidade de álcool consumida, padrão de consumo, vulnerabilidade (genética, psicológica, social), presença de doenças prévias ou uso de medicamentos, outros hábitos de saúde, entre outros.

Sabe-se que o consumo nocivo do álcool está fortemente relacionado com cerca de 200 tipos de doenças, lesões resultantes de violência e acidentes de trânsito e morte, ressaltou Alfredo Almeida Pina Oliveira.

Os principais problemas de saúde que o álcool pode acarretar são: transtornos por uso do álcool, suicídios, violência doméstica, lesões no trânsito, epilepsia, cirrose hepática, câncer (boca, esôfago, intestino, mama), pancreatite, tuberculose e hipertensão (pressão alta). 

Algumas doenças são totalmente atribuíveis ao álcool, como por exemplo, a síndrome de dependência do álcool, enquanto outras têm uma grande parcela atribuível ao álcool, como é o caso da cirrose (em 48% de todos os casos de cirrose estima-se que a causa seja o consumo de álcool). No caso de lesões no trânsito, câncer de boca e pancreatite, mais de 25% dos casos são atribuíveis ao álcool.  

O consumo de álcool causa prejuízos não apenas à saúde de quem bebe, mas também de seus familiares. Problemas de relacionamento, violência, negligência, gastos e perda de patrimônio e da sociedade como um todo, acidentes de trânsito, prisão e redução da produtividade no trabalho, complementou o especialista.

O corpo leva de 1 a 3 horas para metabolizar uma dose de álcool, o tempo é maior em pessoas que apresentam uma menor quantidade de enzimas ou menor quantidade de água no organismo. Por exemplo, mulheres e indivíduos que apresentam alguns problemas de saúde ou fazem uso de determinados medicamentos.    

O álcool é processado no organismo mais lentamente do que é absorvido, de modo que além da quantidade total de álcool é importante controlar a velocidade e a forma do consumo. O beber pesado episódico (BPE), também conhecido pelo seu termo em inglês como “bingedrinking”, corresponde à ingestão de quatro doses ou mais em pelo menos uma ocasião no último mês, pode aumentar o impacto negativo do álcool nos órgãos e sistemas. 

TESTOSTERONA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2021
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias

Sexta-feira de chuva em Assú

Se no Seridó não está chovendo, para as bandas do Oeste ela as precipitação está intensa.  No município de Assú, por exemplo, a garotada aproveitou

Leia Mais

Estão nos planos

Um fonte de Coturno Alto confidenciou pro blogue do ‘Xerife’: Três situações que estão nos planos do ex-prefeito de São Gonçalo do Amarante Jaime Calado e

Leia Mais