Atividade da construção potiguar segue em dificuldades, diz sondagem da FIERN

A Sondagem Indústria da Construção, elaborada pela FIERN, aponta que a atividade do setor sofreu forte
contração em abril e ficou abaixo do padrão usual para o período. Com esse resultado, o índice alcançou o
nível mais baixo para um mês de abril, da série histórica iniciada em 2010. Acompanhando o desempenho
negativo da atividade, o número de empregados também caiu. O nível médio de Utilização da Capacidade
de Operação (UCO), por sua vez, manteve-se baixo e estável entre março e abril, em 46%.

Em maio, os indicadores de expectativas caíram pelo segundo mês consecutivo, após o pico de otimismo
registrado em março, e retomaram ao nível de dezembro de 2018. Portanto, as perspectivas dos
empresários da Indústria da Construção em relação aos próximos seis meses encontram-se negativas no
que diz respeito ao nível de atividade, às compras de insumo e matérias-primas, aos novos
empreendimentos e serviços e ao número de empregados. Por sua vez, a intenção de investimento registrou
recuo pelo terceiro mês consecutivo.

Comparando-se os indicadores avaliados pela Sondagem Indústria da Construção potiguar com os
resultados nacionais divulgados em 23/05 pela CNI, observa-se que, de um modo geral, as avaliações
convergiram, com a diferença de que na indústria nacional, as perspectivas com relação ao nível de
atividade, às compras de insumos, aos novos empreendimentos e ao número de empregados se mantem
positivas, embora menos otimistas, e o índice de intenção de investimento ficou estagnado, após três quedas
consecutivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Categorias