Apagão no Amapá rende multa de R$5,7 milhões, mas as vítimas é que vão pagar

A agência reguladora Aneel aplicou multa de R$5,7 milhões na população por causa do apagão no Amapá em novembro.

O multado, oficialmente, é o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), mas, como se trata de órgão público, seus burocratas são protegidos por uma legislação absurda que transfere à população, que a rigor são as vítimas, o pagamento da multa.

Até impostos pagos pela população amapaense, que ficou no escuro, serão usados para bancar a multa milionária.

Encerra-se nesta segunda-feira (17) o prazo para que a ONS recorra da multa imposta pela agência reguladora Aneel.

Não há tensão entre burocratas da ONS: se o recurso for negado pelos colegas da Aneel, a conta será paga pelos contribuintes otários.

Recebendo salários três vezes maiores que o limite constitucional do STF, os dirigentes da ONS bem que poderiam ajudar a pagar a multa.

O diretor-geral ONS recebe R$90 mil por mês, mais que o dobro de Bolsonaro, e seus demais diretores embolsam R$65 mil.

Diário do Poder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

junho 2021
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Categorias