2 mil pessoas estão desabrigadas em Patos (PB) por causa das chuvas

patos-diluvio-tres1Após levantamento feito pela Prefeitura de Patos ficou constatado que cerca de duas mil pessoas estão desabrigadas ou desalojadas. Até o final da tarde desta terça-feira foram contabilizadas 505 residências atingidas, 30 casas destruídas, três fábricas de calçados e um depósito de calçados, todos na Rua da Baixa, inundados com perda quase que total.

As chuvas provocaram a interdição de algumas ruas de Patos, como também a interdição parcial de duas pontes, uma que dá acesso a estrada para Teixeira e a BR-230, saída para Sousa, que foi controlada por agentes da Polícia Rodoviária Federal. Engenheiros do DER estão monitorando as rodovias estaduais que dão acesso a Patos.

As áreas mais atingidas pelas chuvas e consideradas como pontos críticos são os bairros do Morro, Santo Antônio, Vitória, Salgadinho, Jardim Guanabara e Novo horizonte, enquanto que a Rua do Frango foi a que mais sofreu com as chuvas.

O temporal que atingiu Patos começou a cair por volta das 16h da segunda-feira e só parou na madrugada desta terça-feira. Segundo a Defesa Civil municipal, o Corpo de Bombeiros e a AESA, choveu mais de 380 milímetros. Em quatro horas caiu o que estava previsto para seis meses de chuvas na região.

A Polícia Militar, através do 3º Batalhão, e o Corpo de Bombeiros, utilizaram um efetivo de aproximadamente 200 homens. O governador esteve no quartel do 3º BPM, onde elogiou os alunos do Curso de Formação de Soldados e os bombeiros que participaram do socorro às vítimas. Maranhão ainda se reuniu com seis militares da PM e três integrantes do Corpo de Bombeiros que sofreram com a cheia e garantiu a reconstrução de suas moradias.

Assessoria Governo do Estado e Paraiba1.com.br

2 respostas

  1. Xerife, gostaria que vc publicasse esse texto dos FUNCIONÁRIOS CONCURSADOS DE FLORÂNIA. SEGUE ABAIXO O TEXO:
    Prefeito de Florânia reabre Processo Administrativo contra Funcionários Concursados.
    Este seu argumento ou falácia, Sr. Prefeito, de dizer que tudo está na Lei não funciona para as mentes sãs e de espírito atilado. Isso só revela seu escravo legalismo desenfreado, sem ética, sem espírito e sem autonomia na concorrência para o bem e para a prática da justiça.
    Com artimanhas maquiavélicas de oportunismo pensa enganosamente que vai longe a fazer injustiças às claras contra o povo e a praticar crime de perseguição política em nosso meio. Estás enganado, embaraçado e desumano, insensível às necessidades alheias. Alguns o chamam de mal, isso é um elogio. És um despreparado! Florânia assiste de camarote a um show de despreparo do atual gestor.
    Na medida em que se pretendeu advogar como Prefeito – e não a gerir como Prefeito – , o atual “Prefeito advogado”, digo, “Advogado Prefeito” fracassa em sua empresa de administrar uma cidade tão rica culturalmente, cuja imagem anda comprometida aqui e lá fora por causa de seus desmandos. É o que qualquer um, de fato como de direito, pode constatar: “Um caos administrativamente” que dispensa qualquer análise política, por mais rasteira que seja, a seu respeito. Com isso, ao invés de estar planejando ou projetando como administrar estruturalmente sua cidade, sobram-lhe tempo e dinheiro suficientes para REABRIR UM PROCESSO ADMINISTRATIVO(alegando averiguar a regularidade da nomeação dos servidores, tendo em consideração a efetiva existência, ou não, de vagas legalmente criadas para os cargos atualmente ocupados) contra funcionários que só querem trabalhar sossegadamente sem nenhum aborrecimento ou constrangimento. E novamente, o presente ato do Sr. Prefeito encontra-se eivado de contradições. Um olhar atento encontra gritantes contradições.
    Seu legalismo mata, “como a traça ou a ferrugem”, consome ou corrói, porque justifica suas más ações no direito, mas não se serve dele para promover o bem e a dignidade humanas. Enquanto a palavra de ordem da atual administração devia ser “RECONHECIMENTO”, o que se percebe é o “DESCONHECIMENTO” dos direitos trabalhistas.
    Já que optou por ser político, deveria, ao menos, zelar pelo erário público, aplicando com mais transparência nosso dinheiro, do que propalar por aí a enfadonha ideia de que “só faz assim”, ou “só faz isso” ou “só acontece aquilo” porque a lei permite. A lei deve libertar o homem e não escravizá-lo. Do contrário, deveria ter ficado como advogado, esforçando-se para trabalhar o mais eficazmente possível como defensor, isso sim, dos interesses do povo e da legislação brasileira. Infelizmente, veio a ser Prefeito, aqui está o ponto; para servir ao povo quando o fere de modo gritante; diminuir as injustiças quando multiplica ofensas e constrangimentos entre os mais simples do povo; para ser ético e responsável no cargo que ora ocupa quando prefere o contrário, agredir a ética de pessoas de bem que só querem trabalhar legalmente no cargo a que foram nomeadas, enquanto dezenas ou até centenas de pessoas são contratadas ilegalmente, de modo escuso, para prestar serviços à Prefeitura de Florânia. Um absurdo!

    Funcionários concursados de Florânia que assumem legalmente seus cargos.

  2. Parabéns Robson mesmo distante de Caicó, aqui no Pr. estou em dia com as noticias da terra.
    Santiago

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Recentes

abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
Categorias